O que fazer em Budapeste com pouco dinheiro

Sempre que viajantes procuram opções de turismo bom e barato pela Europa, o nome da capital da Hungria entra na conversa. Principalmente porque, apesar de ser um destino com custo de vida mais baixo, encontrar o que fazer em Budapeste não é tarefa difícil. A cidade é histórica, moderna, charmosa, agitada e romântica. Tudo ao mesmo tempo.

Mas, afinal, por que Budapeste entra na lista dos locais menos caros para se conhecer no continente europeu? A resposta, essencialmente, é o custo de vida para o turista. Com amplas opções de hospedagem e gastronomia, estima-se que é possível permanecer na cidade com cerca de US$ 51,00 por dia.

As opções de passeios com custos baixos – ou zero – também são amplas. Acredite: só a vista do Rio Danúbio e da Ponte das Correntes já é um espetáculo à parte. Ficou interessado? Então, prepare-se: a seguir, você vai descobrir tudo o que é possível fazer em Budapeste.

O que fazer em Budapeste: atrações por região

Além de ser a cidade mais populosa e o centro econômico e cultural da Hungria, Budapeste é também uma localidade histórica. Para você ter uma ideia, a região começou a ser explorada no século 1 a.C, pelos celtas. Depois, vieram os romanos e passaram a construir os anfiteatros e as casas mais espaçosas.

A infraestrutura de Budapeste nos dois lados da cidade, cortada pelo Rio Danúbio. É por isso que, até hoje, a divisão permanece: existe a parte Buda e a parte Peste. Parece engraçado, mas não é brincadeira. Assim, você vai ver o que fazer em Budapeste em dois tópicos, Buda e Peste.

O que fazer em Budapeste
Rio Danúbio divide a cidade de Budapeste. Foto: iStock, Getty Images

O que fazer em Buda?

A parte Buda é a parte essencialmente histórica da cidade, onde ficam os prédios mais antigos. A sugestão é visitar a área de Castle Hill. É lá que ficam alguns pontos turísticos que mostraremos a seguir:

1. Buda Castle

O Palácio Real, Castelo de Buda ou Buda Castle é uma estrutura histórica, com jardins e estátuas que mantêm os traços da Idade Média. O lar dos reis da Hungria foi classificado pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade e está localizado em uma montanha de cerca de 170m de altura. Imagine só a vista.

Na área, há também outros edifícios datados do século 18, como o Museu de História e a Galeria Nacional. O mais legal é que toda a região de Castle Hill oferece, ainda, restaurantes, museus e exposições. Você pode ficar horas por lá e curtir o cenário incrível.

2. Monte Gellért

Você sabia que Budapeste tem sua própria Estátua da Liberdade? Trata-se de um monumento erguido em 1947, para homenagear as tropas soviéticas que, ao fim da Segunda Guerra Mundial, libertaram a Hungria do exército nazista. Se você quiser observar esse monumento, a dica é subir o Monte Géllert, que também fica no lado Buda.

Lá do alto, é possível contemplar o Rio Danúbio e obter uma visão panorâmica de Budapeste.

3. Igreja de Matias

Erguida no século 12, esta igreja reúne vários atrativos, desde obras de arte e esculturas, até seus próprios vitrais. Outro pronto turístico fica logo em frente: o monumento Bastião dos Pescadores, constituído por sete torres erguidas em homenagem às sete tribos magiares, fundadoras da nação húngara.

O que fazer em Peste?

No lado Peste, também há várias localidades que traduzem um pouco da história de Budapeste, mas estas se misturam com as áreas mais modernas. É onde você vai encontrar shoppings, lojas, bares e boates.

Vale fazer um passeio pela Galeria de Arte Moderna e pelo Városliget – ou City Park – um parque cheio de lagos e restaurantes. Não deixe de visitar também a Casa de Banho Szechenyi, onde é possível relaxar nas águas termais. Viu só como há várias opções para se divertir em Budapeste?

Os pontos turísticos listados a seguir também são imperdíveis:

1. Basílica de Santo Estêvão

Estêvão foi o primeiro rei da Hungria, deixando um grande legado por ter fundado diversos mosteiros e introduzido o cristianismo aos povos magiares. Sua Basílica é gigante, tem capacidade para mais de 8.000 pessoas e guarda monumentos e objetos preciosos, muitos em prata e ouro.

O grande barato é subir na torre e curtir o visual da cúpula, que fica a 96 metros do chão. Só a vista já vale o passeio.

2. A Praça dos Heróis

Uma das praças mais importantes da capital da Hungria – e de longe a mais famosa –  é a Praça dos Heróis, que reúne diversos atrativos. Alguns dos edifícios mais significativos da história da cidade estão ali, como o Palácio da Arte, o Museu de Belas Artes e o Memorial do Milênio, uma estátua em homenagem aos fundadores da Hungria, por volta do século nove.

A praça fica no extremo da mais famosa avenida de Budapeste, a Andrássy: uma espécie de Champs-Élysées da Hungria. Rodeada de grifes e palácios, certamente ela é um ponto turístico que merece uma visitinha.

3. Parlamento Húngaro

Com 27 entradas e nada menos do que 700 salas, o Parlamento de Budapeste é o segundo maior do mundo – perde apenas para o da Inglaterra. O edifício, que também é o maior da Hungria, abriga as coroas reais, esculturas e belos tapetes.

Além de observar a arquitetura gótica rica em pequenos detalhes do prédio, se quiser, você também pode fazer um tour guiado e conhecer algumas das salas. Que tal?

O que fazer em Budapeste contando os centavos

Como várias outras cidades da Europa, o coração da Hungria é repleto de histórias, muitas delas contadas através dos pontos turísticos já mencionados. Mas, para os viajantes que também não abrem mão de comer, beber e se divertir sem gastar muito, Budapeste traz várias alternativas.

Sugerimos que, no seu roteiro, você inclua um passeio pelo Mercado Central – localizado no lado Peste – onde é possível fazer refeições baratas e adquirir produtos típicos da Hungria. Vale provar o Pörkölt, uma espécie de ensopado de carne temperado com páprica, e a Palacsinta, que se parece com um crepe.

Também neste lado da cidade, você poderá localizar vários bistrôs, cafés e bares. Para saborear um delicioso café da manhã, sugerimos uma visita ao Café Gerbeaud (que existe desde 1858) e oferece delícias como os bolos de sete camadas. Há restaurantes em Budapeste nos quais o menu custa nada mais do que 5, como é o caso do Menza.

Gosta do ar requintado dos bistrôs? O Zeller Bistro e o Rézkakas são alternativas: o primeiro com uma atmosfera mais aconchegante, o segundo com uma vibe mais descolada e jovem. Para quem procura a agitação da vida noturna, não dá dúvidas: a dica é visitar os pubs em ruínas, que compõem o lado underground de Budapeste.

Neles você pode dançar, beber e curtir bastante. Algumas opções são o Szimpla Kert, o Instant e o Fogas – House and Garden, que tem entrada gratuita e, além de sediar festas, também abriga exposições de artes e um lindo jardim. Ah, e não fique só na cerveja: os vinhos e drinks húngaros também são uma atração à parte.

E aí, gostou das nossas dicas sobre o que fazer em Budapeste? Já está com vontade de conhecer essa cidade absolutamente incrível? Comente!


Deixe uma resposta