História de Colonia del Sacramento

A história de Colonia del Sacramento, no Uruguai, é a história de um conflito entre Portugal e Espanha. A disputa por essas terras está marcada em cada telhado, em cada muro e em cada pedaço da cidade. Atualmente, a influência arquitetônica portuguesa predomina entre as construções e ruínas remanescentes dos primórdios desse recanto às margens do Rio da Prata. Mas o que você vê é apenas o que restou.

Calle de los Suspiros, a mais antiga de Colonia del Sacramento

História de Colonia del Sacramento nas ruas da cidade

O acesso ao rio foi o principal motivo da contenda. Portugal queria um porto para facilitar o comércio na região e estabelecer ponto estratégico para fins bélicos, contra a Espanha.

A mando da coroa portuguesa, a frota de Manuel Lobo partiu no fim de 1679 e alcançou a bacia do Prata em em janeiro do ano seguinte. No dia 22 de janeiro de 1680, os portugueses ancoraram e fundaram Colônia do Santíssimo Sacramento, de olho em Buenos Aires na margem oposta do rio.

A conquista portuguesa não durou muito tempo. Na madrugada do dia 7 para o dia 8 de agosto do mesmo ano, tropas espanholas e indígenas invadiram, destruíram e tomaram a cidade. Após negociações, a posse de Colonia foi devolvida a Portugal pelo Tratado Provisional de Lisboa (7 de maio de 1681). Portugal não poderia, no entanto, construir novas fortalezas e edifícios de pedra, que caracterizariam ocupação permanente. Em 1683, os lusitanos voltaram para Colonia.

Houve então um período de grande reconstrução e mobilização de esforços para o povoamento e desenvolvimento da cidade. Até 1705, quando a Espanha voltou a atacar – e vencer. A cidade permaneceu desocupada durante 10 anos.

Portugal só retornou a Colonia em 1715, sob novo tratado diplomático, o Tratado de Utrecht, de 6 de fevereiro de 1715. Ele previa que os portugueses não teriam permissão de ampliar os limites da cidade além do alcance de um tiro de canhão disparado dos muros da fortaleza.

Mais um período de reconstrução em Colonia: 1715 a 1735. Nessa época, a cidade se transformou em grande exportadora de couros, suprindo toda a demanda de Lisboa. E provocou novamente o desejo da Espanha, que voltou à carga em outubro de 1735. Os espanhóis cercaram a cidade e batalharam durante dois anos, até que um armistício foi assinado. O sítio à Colonia foi tão intenso, que boa parte da cidade ficou destruída.

Por isso, os portugueses optaram pela demolição e reconstrução completa da cidade. O trabalho mal havia terminado, em 1777, quando os espanhóis, liderados por Pedro Ceballos, invadiram novamente. Todas as fortificações e grande parte das construções foram destruídas.

Colonia del Sacramento voltou ao domínio de Portugal em 1817, com a incorporação da Cisplatina, ordenada por D. João VI. Após a independência do Brasil, em 1822, o Uruguai (e consequentemente Colonia) passou a fazer parte do novo país. Seis anos depois, a República Oriental do Uruguai também ganhou sua independência (e aí cessou a troca de governo e comando de Colonia).

7 COMENTÁRIOS

  1. […] A cidade tem nítida herança portuguesa. Ruas de pedras, casas baixas e coloridas, igrejas e muralhas. Por conta do rio da Prata, a cidade foi alvo de grandes disputadas entre as coroas de Portugal e Espanha, que tentavam controlar o comércio e o poder na região. Mas a influência espanhola também está presente, como se vê, por exemplo, na Praça de Touros, onde eram realizadas touradas. Leia mais sobre a história da cidade aqui. […]

  2. Estou planejando ficar uma semana em Montevideo e pretendo ficar um dia em Colonia del Sacramento na primeira semana de Julho e pergunto: há algum problema visitar a Colonia no Inverno, faz muito frio !! 24/02/2014

Deixe uma resposta para Anônimo Cancelar resposta