Países que falam a língua inglesa: viaje e pratique o idioma

Nada melhor para aprimorar o domínio de um idioma estrangeiro do que visitar lugares onde ele é a língua oficial, certo? É por isso que viajar até países que falam a língua inglesa sempre é uma boa aposta. Sem falar que ainda é possível aproveitar a viagem para conhecer a cultura e as atrações turísticas locais.

A boa notícia é que opções de destino não faltam se o seu desejo é unir turismo com a prática do idioma inglês. São mais de 40 países em que ele é considerado a língua mãe. Mas isso não significa necessariamente que neles a língua inglesa seja falada no dia a dia. Ficou confuso? Calma, já vamos explicar.

Irlanda é um dos países que falam a língua inglesa
Pubs irlandeses são um bom lugar para praticar a língua inglesa. Foto: iStock, Getty Images

Quais são os países que falam a língua inglesa?

Os países que têm a língua inglesa como idioma oficial são divididos em duas categorias: inglês oficial de facto e de jure. Essas expressões são latinas e significam, respectivamente, “na prática” e “na teoria”, ou “por lei”. Já entendeu mais ou menos o que isso significa?

Em termos gerais, os países em que o idioma é de facto oficial, você certamente vai encontrar os moradores locais conversando em inglês. Naqueles onde a língua é falada de jure, é natural que as pessoas nas ruas o dominem, mas eventualmente adotem outros dialetos para conversar. De uma forma ou de outra, você encontrará oportunidades para praticar.

É difícil mensurar precisamente onde a língua é falada, já que isso também varia dependendo do estado em questão. Os únicos locais em que a língua inglesa é adotada de fato e de jure como único idioma são Estados Unidos, Reino Unido e Nova Zelândia. Nessa lista, certamente você sentiu falta de Canadá (onde o francês também é língua oficia), Austrália (que não tem idioma oficial), entre outros.

Já na lista de todos os países que têm o idioma inglês como de jure, entram os seguintes: (a lista é longa!)

* Austrália

* Belize

* Botswana

* Camarões

* Canadá

* Escócia

* Estados Unidos

* Fiji

* País de Gales

* Gâmbia

* Guiana

* Inglaterra

* Irlanda

* Índia

* Jamaica

* Quênia

* Kiribati

* Lesoto

* Libéria

* Malawi

* Malta

* Ilhas Marshall

* Maurícia

* Micronésia

* Namíbia

* Nauru

* Nova Zelândia

* Nigéria

* Paquistão

* Palau

* Papua-Nova Guiné

* Filipinas

* Ruanda

* África do Sul

* Santa Lúcia

* Samoa

* Seychelles

* Serra Leoa

* Singapura

* Ilhas Salomão

* Sudão do Sul

* Tanzânia

* Tonga

* Trinidad e Tobago

* Tuvalu

* Uganda

* Zâmbia

* Zimbabwe.

Entre os países nos quais a língua inglesa é falada de facto, podemos citar Antígua e Barbuda, Bahamas, Barbados, Granada, Irlanda do Norte, São Cristóvão e Nevis e São Vicente e Granadinas. Inegável que o inglês é predominante praticamente nos quatro cantos do mundo, não é?

A seguir, você vai entender melhor o porquê disso.

Origem da língua inglesa

Talvez você não saiba, mas a língua inglesa foi desenvolvida em três fases: inglês antigo, inglês médio e inglês moderno. A história do idioma começou com a invasão de três tribos germânicas à Grã-Bretanha, no século cinco.

Os anglos, saxões e jutos foram os povos que atravessaram o Mar do Norte e ocuparam o território dos celtas. Foi assim que, na Grã-Bretanha, começou a se desenvolver essa língua hoje tão difundida pelo mundo.

Entenda melhor as fases do idioma inglês:

Inglês Antigo (de 450 até 1100 d.C)

É a linguagem que começou a se instituir a partir da invasão germânica. Embora muito diferente do atual, diversos vocábulos utilizados no inglês moderno ainda derivam das raízes desse período.  Palavras e verbos como“”water” e “be” são exemplos.

Inglês Médio (de 1100 até 1500)

Nesta fase, a Grã-Bretanha foi invadida pelos chamados normandos, os conquistadores franceses que trouxeram com eles as raízes de seu idioma nativo francês. Durante o período, houve uma certa divisão de classes através da linguística: pessoas de classe alta falavam francês e as de classe baixa inglês.

Foi no século 14 que o inglês voltou a dominar a Grã-Bretanha, mas com palavras oriundas do francês acrescentadas ao vocabulário. Assim se moldou o Inglês Médio.  

Inglês Moderno (a partir de 1500)

A partir do século 16, povos de todo o mundo passaram a ter mais contato com o inglês britânico. O Renascimento foi o responsável por fazer novas palavras e frases entrarem no dialeto. A ascensão da imprensa representou outro fator decisivo para impulsionar o idioma

Com mais pessoas alfabetizadas e com acesso a livros, a língua inglesa foi se popularizando cada vez mais. Até ganhar espaço ao redor do globo.

Claro que contamos a história de forma bastante sintética. Mas já deu para perceber: não é à toa que hoje o inglês, embora tenha muitas variedades, é um dos idiomas oficias das Nações Unidas, da União Europeia e praticamente o esperanto do mundo corporativo, certo?

Onde aprender e praticar a língua inglesa

Bom, você já viu que se fala inglês em qualquer pedaço do planeta. Mas em quais países e cidades é indicado fazer intercâmbio para o aperfeiçoamento no idioma?

Essa é outra história. Você certamente não vai querer praticar a língua inglesa na Índia, né? Você pode até obter alguma fluência por lá, mas o resultado sonoro não será o mesmo de um período de estudos na Inglaterra, na Irlanda, no Canadá ou nos Estados Unidos.

Top 10 dos intercambistas brasileiros

De acordo com a Belta (Brazilian Educational & Language Travel Association), que reúne as principais instituições brasileiras na área de cursos, estágios e intercâmbios no exterior, os top 10 destinos dos intercambistas brasileiros é o seguinte:

  1. Canadá
  2. Estados Unidos
  3. Austrália
  4. Irlanda
  5. Reino Unido
  6. Nova Zelândia
  7. Malta
  8. África do Sul
  9. França
  10. Espanha.

Vamos entender as cinco primeiras escolhas?

Canadá

O custo é mais baixo do que o dos Estados Unidos, o inglês é destituído de um regionalismo que atrapalhe a prática posterior e o país é sensacional. Quer mais?

Estados Unidos

Os EUA são uma paixão, mesmo que seja difícil admitir: para quem pode bancar, é uma experiência que vale cada centavo.

Austrália

Assim como o Canadá, tem custo mais baixo do que os EUA e permite trabalho legal durante o curso de inglês. Além disso, é um país incrível, com uma clima ótimo, mais parecido com o brasileiro.

Irlanda

É uma opção mais calma e acessível na comparação com a vizinha Grã-Bretanha. Dublin é uma cidade efervescente e multicultural, e a Irlanda ainda permite o trabalho legal durante o intercâmbio.

Reino Unido

É o berço do inglês, mas o charme custa caro. A libra é um peso constante em quem pratica a conversão, já que não dá para trabalhar ao longo do curso de inglês. Mesmo assim, Londres é Londres: uma cidade de infinitas opções culturais que fazem valer o investimento.

E você, também ama o inglês e quer fazer intercâmbio no exterior? Já conhecia todos os países que falam a língua inglesa? Deixe um comentário.

Deixe uma resposta