Mapa da Itália e os principais pontos para seu roteiro

O Mapa da Itália é um dos mais fascinantes para o turismo na Europa. Ele contém inúmeros destinos com arquitetura belíssima, história fascinante e paisagens de tirar o fôlego.

Então, o que você sabe sobre a Itália? Quais são os seus lugares favoritos? No texto a seguir, contamos a história do país e sugerimos pontos do mapa para montar o seu roteiro turístico.

Como é o mapa da Itália

Mapa da Itália
Mapa da Itália em 2018

Dominado pelo Império Romano, o mapa da Itália foi unificada pela primeira vez no terceiro século antes de Cristo. Com a queda do império, no século V, o país foi disputado por outros reinos.

Povos como os lombardos, ostrogodos, germânicos, bizantinos e normandos dominaram a Itália após a queda do Império Romano, tendência que se estendeu até a criação das cidades-estado.

Essas dominações estrangeiras tiveram seu fim ao longo do século X, quando as cidades-estado conferiram maior poder regional aos italianos e à Igreja Católica, concentrada no Vaticano.

Foi em 1861 que ocorreu a unificação italiana, no reinado de Vítor Emanuel II, com forte influência do Conde de Cavour e do general Giuseppe Garibaldi.

Depois disso, a configuração do mapa italiano não sofreu grandes alterações. Atualmente, a Itália dispõe de mais de 300 mil km² de extensão, incluindo as ilhas da Sicília, Elba e Sardenha.

A maior parte do território italiano (exceto as cidades ao extremo norte) é banhada por mares como o Jônico, Adriático e Tirreno.

A Itália faz fronteiras com França, Áustria, Suíça, Eslovênia, San Marino e Vaticano.

O charme do mapa da Itália

Mochilão pela Europa - Roma, Vaticano

Existem paisagens maravilhosas espalhadas pelo mapa da Itália. A Itália tem lugares incríveis para se conhecer, como os Alpes, as montanhas da Sicília e a Riviera na Ligúria.

A Itália atende a todos os gostos. Seja o de turistas urbanos, rurais ou dos fãs de arte. Nenhum outro lugar tem tanto apelo arquitetônico quanto a Itália, coração do movimento renascentista.

Com algum tempo de sobra, é possível conhecer várias dessas regiões. Aqui vão as mais marcantes:

Nápoles

A vista do vulcão Vesúvio e do Mar Tirreno faz qualquer turista se apaixonar quando passa por Nápoles.

Orgulho do sul italiano, é a cidade onde a pizza foi inventada. A especialidade culinária norteia os costumes do povo napolitano, que se orgulha muito de sua gastronomia.

O centro de Nápoles foi tombado pela UNESCO como patrimônio histórico. A preservação de antigas construções, prédios e castelos dá um caráter de viagem no tempo ao local.

Veneza

Cercada pelo Mar Adriático, Veneza é o local mais romântico da Itália. Muito procurada por turistas em casais, tem uma longa tradição de navegação por barcos.

A arquitetura também chama a atenção em Veneza, assim como a arte e a música, traços culturais de um povo muito hospitaleiro.

Navegar pela cidade nas gôndolas é um convite para se apaixonar pelas ilhas da região.

Roma

Coração do Vaticano, da Igreja Católica e palco de grandes batalhas desde o Império Romano, a capital italiana é conhecida como a “cidade eterna” e tem o Coliseu como seu cartão-postal.

Mas Roma não é só o Coliseu. A região, às margens do Rio Tibre, conta a história da Itália e das grandes civilizações que por lá passaram.

A Basílica de São Pedro, a Capela Sistina e o Estádio Olímpico são construções de grande porte, à altura das antigas e imponentes raízes romanas.

Milão

Voltada para o aspecto urbano e moderno de sua arquitetura, Milão é a cidade mais luxuosa da Itália, onde grande parte da movimentação econômica acontece.

Milão, como metrópole, dita tendências, é referência em indústrias e no mundo da moda. A vida noturna também é muito atraente na cidade, especialmente entre as personalidades que lá residem.

Sicília

Praias, montanhas, ruínas, muitas áreas verdes: a Sicília é uma ilha de enorme beleza natural e tem sido cada vez mais procurada por turistas.

A paisagem modesta em contraste com os mares do Mediterrâneo, Jônico e Tirreno proporciona uma experiência única em tranquilidade e admiração.

Com o Monte Etna no horizonte, a Sicília é talvez a mais representativa em termos visuais no território italiano. A ilha fica na região sul da península, quase no bico da bota no mapa.

Sardenha

A outra grande ilha da Itália é a Sardenha. O paraíso do Mediterrâneo conta com a belíssima vista para o mar como atrativo no verão.

Assim como na Sicília, a Sardenha oferece um enorme número de praias estonteantes e é um destino obrigatório em épocas mais quentes do ano.

As formações rochosas e áreas verdes, muito populares em fotografias de turistas, compõem uma paisagem de sonho.

Toscana

Destacada no ramo da gastronomia, a região da Toscana tem três cidades clássicas e de enorme tradição no país: Florença, Siena e Pisa.

Igrejas e outras construções clássicas formam, em conjunto com as ruas dos centros, uma visão de como era a Idade Medieval. Como poucos lugares no mundo, a região da Toscana sabe preserva seu passado.

Os sorvetes e diferentes pratos com massa e molho podem pegar muitos turistas pelo paladar. Não deixe de conhecer essas especiarias se passar por lá.

Como usar o mapa da Itália no seu roteiro

Antes de fechar o seu roteiro, anote essas dicas curtas para não passar aperto na Itália. Projete a viagem com cautela desde o voo e a empresa escolhida.

Os voos diretos do Brasil geralmente desembarcam em Milão ou Roma, por isso, cheque como isso irá afetar a sua chegada e hospedagem inicial.

Regiões e custos

Normalmente, as cidades do sul não são tão caras quanto as do norte, questão de infraestrutura e de importância dentro do contexto econômico italiano.

Por este motivo, é esperado que você gaste bem mais em Milão do que em Nápoles. Confira com antecedência os valores de hospedagem e alimentação antes de fechar um pacote.

Na hora de chegar em solo italiano, é hora de lidar com o transporte público. E aqui é crucial conhecer os locais, linhas e trajetos a serem utilizados.

Trens e ônibus

O tempo é fundamental, assim como o orçamento. Trens e ônibus são mais acessíveis, mas demoram mais tempo no caminho e podem custar caro.

O trajeto de Roma-Milão, pode levar três horas ou mais, dependendo da linha. Turim-Milão em pouco mais de 45 minutos.

O valor mais básico dos trens (que geralmente demoram mais) é de 9 euros. As companhias que trabalham com velocidades maiores costumam cobrar, no mínimo, 50 euros.

De ônibus, o trecho Roma-Milão, pela FlixBus, uma das mais econômicas, custa no mínimo 18 euros.

Gostou das dicas? Como foi sua experiência na Itália? Deixe um comentário.

Compartilhar

Deixe uma resposta