Dicas para sua viagem para a Itália

Se você está planejando sua viagem para a Itália, chegou ao lugar certo. Neste post, vamos apresentar as melhores dicas para quem quer montar um roteiro digno de um dos países mais procurados para o turismo.

Todos os caminhos levam a Roma, já dizia o velho ditado na antiguidade. O Império Romano já não ostenta a mesma opulência do passado de glória, mas Roma e a Itália continuam a ser um dos destinos mais procurados por viajantes do mundo inteiro.

Mochilão pela Europa - Roma, Vaticano
Todos os caminhos levam a Roma (ou ao Vaticano, nesse caso). Foto: iStock, Getty Images

Para saber apreciar esse país cuja cultura e história se tornaram universais de tão importantes, escrevemos este artigo especial. Vamos contar o que você saber antes de pôr o pé na estrada e mostrar dicas valiosas para degustar esse que é um dos destinos mais apetitosos da Europa.

O que saber antes de viajar para a Itália

Algumas das atrações italianas dispensam apresentações. No entanto, nem todo mundo sabe de verdade alguns aspectos básicos do país e de suas principais cidades. Vamos te contar o que você precisa saber sobre a Itália e seus cidadãos para sua viagem começar antes mesmo de você pousar por lá.

Como é a a Itália

A Itália é um país majoritariamente montanhoso, à exceção da planície do rio Pó, que fica no norte. Além das terras continentais, mais 70 ilhas, incluindo as famosas regiões da Sicília, Sardenha e Elba, também fazem parte do território italiano.

Dentro do território continental existem dois estados independentes: O Vaticano e a República de San Marino. A população Italiana gira em torno dos 60 milhões. Depois de Alemanha, França e Reino Unido, é o país europeu mais industrializado.

Faz parte da zona do Euro e é signatário do tratado de Schengen. Dois pontos muito importantes para os viajantes internacionais. O país tem uma distinção muito clara entre o norte rico e desenvolvido e o sul, mais pobre e menos industrializado. O turismo, como não podia deixar de ser, é um dos motores da economia italiana.

O turismo na Itália

O turismo explora a impressionante bagagem histórica e cultural da península italiana. Foi o centro do grande Império Romano e muitas de suas construções históricas são importantes pontos turísticos. Também foi o palco principal do humanismo europeu e do renascimento, sendo a casa de obras e artistas como Leonardo Da Vinci, Michelangelo, Botticelli e Caravaggio. É a terra da ópera e de seus principais compositores, como Verdi e Puccini.

Por fim, a culinária italiana é talvez o aspecto cultural do país que mais conquistou o mundo, com sabores picantes de Nápoles e Calábria até as massas universalmente famosas e seu bom vinho.

Os Italianos

Apesar de não ser um país continental, cada região da Itália tem uma característica local muito forte. Os italianos são conhecidos como ‘bairristas” de carteirinha, ou seja, não abrem mão de comprar produtos e prestigiar a cultura dos seus locais de origem. Cada região tem seu vinho e seus produtos típicos, o que resulta em uma variedade muito grande de marcas e opções.

Em geral os italianos não falam muito inglês. Além disso, os sotaques e dialetos de muitas regiões são muito diferentes do italiano padrão. Tenha isso em mente se for viajar sozinho ou para regiões fora do circuito tradicional. No mais, os habitantes da Itália são mais expansivos e falam um pouco mais alto.

E agora, para sua viagem ser inesquecível, confira as dicas imperdíveis sobre como conhecer e aproveitar a Itália.

8 dicas para curtir sua viagem para a Itália

A nossa primeira dica é sobre gastronomia local. Hmmmm. É muito raro encontrar alguém que não goste das massas italianas. Tudo bem, não são pratos leves ou para quem quer emagrecer, mas se você está de dieta, a viagem pela Itália merece sim uma pequena pausa (com as devidas exceções, é claro).

1. Culinária italiana

Como todo país turístico, existem os “restaurantes armadilha”, aqueles feitos apenas para turistas e que na verdade não são frequentados pelos habitantes locais. Comer na Itália é uma das melhores partes da viagem, e para isso você não precisa gastar muito, pode acreditar!

Pesquise com antecedência e se informe com os próprios italianos sobre boas opções de restaurantes, gelaterias e cafés. Os lugares frequentados pelos próprios italianos são ótimas indicações, vendem comida genuinamente italiana e não possuem preços “para turistas”.

2. Ingressos antecipados

A maior parte das atrações turísticas em cidades como Florença e Roma são visitadas diariamente por milhares de pessoas. É fundamental procurar e comprar ingressos com antecedência. Além de tudo, comprando antes da hora você evita perder tempo em filas e garante o andamento de seu roteiro.

3. Olhos abertos sempre

Piazza Navona em Roma
Piazza Navona é uma das praças mais famosas de Roma. Foto: iStock, Getty Images

Cedo ou tarde, ao perambular pela Cidade Eterna, você vai sair de uma ruela despretensiosa e se deparar com alguma imensidão, alguma beleza estonteante como a da foto acima. Pode ser a Piazza Navona, a Fontana Di Trevi, o Panteão, o Coliseu… A cidade foi planejada para produzir essa sensação constante de encantamento. Então, fique de olhos abertos ao passear pela capital italiana.

4. Atenção aos carros

Não são apenas as belezas da Itália que merecem atenção.

Muitas cidades são bem antigas e possuem ruas estreitas. À primeira vista, parece impossível que um carro possa circular ali, mas sim, eles também andam por muitas dessas ruas pequenas, e é preciso estar atento a eles.  É bom ter atenção redobrada principalmente nas curvas, pois pode virar um carro e pode ser que o motorista não te veja.

Só nascendo italiano para conseguir dirigir nas microruas italianas.

5. Atenção às estações de trem e preço do ônibus

Muitos viajantes relatam que na maioria das estações de trens e ônibus não há anúncios com o nome da estação ou mapas para identificar em qual você está. Então, tem que ficar muito atento e é bom contar o número de estações antes de pegar o trem para saber qual a que você vai descer.

E uma dica legal para seu bolso. Ao andar de ônibus, se você comprar a passagem na hora, custa mais caro do que se comprar com antecedência nos centros de informação ou bilheterias.

6. Gelatos artesanais

Os gelatos italianos são conhecidos no mundo todo. Quando estiver por lá, é obrigatório provar, de preferência um artesanal. Nem todo gelato é artigianale (artesanal). Na verdade, a maioria, hoje em dia, já não é mais.

Os gelatos de fábrica normalmente tem uma plaquinha com os nomes dos sabores padronizada. Em pouco tempo você consegue identificar. Pesquise e descubra onde comprar os tradicionais gelatos artesanais. Apesar de os industrializados já serem melhores que o sorvete normal, a versão artesanal vale ainda mais a pena.

7. Horário de funcionamento do comércio

Na Itália, muita coisa fecha entre 12h30-16h para o almoço, inclusive, comércio e atrações turísticas. A maioria abre novamente  por volta de 14h30, mas alguns estabelecimentos voltam só às 16 horas.

Outra dica, muitos restaurantes não servem almoço antes de meio-dia e nem jantar antes das 19h30. O horário tradicional para o jantar italiano é entre as 20 e 21 horas. Lembre-se disso para não chegar na porta de um restaurante e ter que esperar até poder almoçar ou jantar.

8. Organização do roteiro

Venice.
Veneza merece entrar no seu roteiro pela Itália. Foto: iStock, Getty Images

Um roteiro bem feito é fundamental para uma boa viagem. Para te ajudar a incluir os principais passeios da Itália, confira esses dois artigos sobre as principais atrações do país:

Agora é com você! Monte seu roteiro e se prepare para uma das melhores viagens de sua vida. Todos os caminhos levam a Roma, e o seu também tem que passar por lá!

Deixe uma resposta