O que fazer em Moscou: 5 atrações da capital russa

Ao pesquisar sobre o que fazer em Moscou, a maioria dos viajantes se surpreende com a infinidade de atrações. A capital russa está fora da rota turística tradicional na Europa e pode até parecer um pouco intimidante, mas trata-se de um destino cosmopolita e imperdível para os fãs de história. 📚

A verdade é que Moscou aparenta ter sido desenhada como uma pintura. Ela carrega um apelo arquitetônico notável, com suas enormes catedrais e construções históricas, marcadas por inúmeras influências – do estilo barroco, ao rococó, ao classicista. Esse cenário, emoldurado pelo Rio Moscova e pela Ponte Bolshoy Kamenny, parece concebido por algum artista cheio de inspiração.

Se você tem vontade de conhecer Moscou, confira nossa seleção de pontos turísticos abaixo. 😉

Moscou
Moscou é incrivelmente charmosa. Foto: Pavel Kazachkov, CC BY-ND 2.0

Descubra o que fazer em Moscou

Ao mesmo tempo em que Moscou preserva uma bagagem histórica e traços do pós-comunismo, como prédios e igrejas destruídas, há um contraste moderno evidente. A metrópole, com cerca de 10 milhões de habitantes, é completamente vibrante: os monumentos sobreviventes à era de Stalin se encontram em meio a arranha-céus modernos e lojas luxuosas.

Mas quais são, afinal, os principais pontos turísticos que você precisa conhecer na cidade? Abaixo, apresentamos cinco deles.

Kremlin

Kremlin
Kremlin é um dos símbolos da Rússia. Foto: Alexandergusev, CC BY-SA 3.0

Imponente, o Kremlin de Moscou – sede do governo da Rússia – é talvez o principal cartão-postal do país. Trata-se, na verdade, de um enorme complexo de construções: lá o visitante se depara com palácios, como o Palácio do Arsenal e o Palácio da Patriarca, além de um conjunto de catedrais, como a Catedral da Assunção, do Arcanjo Miguel e da Anunciação.

A primeira versão da fortaleza surgiu em 1156, mas novos edifícios foram agregados ao longo dos séculos, atrás de seus muros com mais de 2 km de extensão. Muito antes de se tornar o lar dos Chefes de Estado da Rússia, o Kremlin já havia abrigado até mesmo czares russos, entre 1546 e 1917.

Praça Vermelha

Praça Vermelha_CC BY-SA 2.0
Praça Vermelha abriga alguns dos principais pontos turísticos de Moscou. Foto: Ana Paula Hirama, CC BY-SA 2.0

Impossível não fazer este passeio. Considerada a alma de Moscou, a Praça Vermelha é um dos principais pontos da capital: tanto pela sua história, quanto pelos monumentos que abriga. Ela foi palco de acontecimentos notáveis: Ivan, o Terrível, chegou a mutilar presos nesse local, que também foi utilizado por Napoleão, em 1812, para se dirigir às suas tropas.

Nos arredores da Praça Vermelha estão importantes atrações da Rússia. Além da colorida Catedral de São Basílico, ali também estão o Museu de História, a Catedral Kazan, o Mausoléu de Lênin, além dos túmulos de diversos heróis soviéticos perto dos muros do Kremlin.

Catedral de São Basílico

Catedral de São Basílico_CC BY-SA 2.0
Catedral de São Basílico é famosa por sua arquitetura. Foto: Ana Paula Hirama, CC BY-SA 2.0

Famosa por suas cúpulas coloridas e torres de tijolos vermelhos, a Catedral de São Basílico é um dos monumentos arquitetônicos mais famosos da Rússia. A igreja ortodoxa foi erguida em 1552, a pedido de Ivan, o Terrível, como forma de comemorar sua vitória na batalha Kazan. Ao todo, são nove capelas, oito delas ainda remanescentes do projeto original.

Diz a lenda que, quando a Catedral ficou pronta, o czar mandou cegar o arquiteto responsável pelo projeto, para que ele nunca mais pudesse reproduzir sua beleza em outro lugar do mundo.

Teatro Bolshoi

Teatro Bolshoi_CC BY-SA 2.0
Teatro Bolshoi, um templo artístico de Moscou. Foto: Ana Paula Hirama, CC BY-SA 2.0

Templo do ballet e da ópera russa, o Teatro Bolshoi é um dos pontos turísticos imperdíveis de Moscou – especialmente para os fãs de arte. Com uma belíssima arquitetura, que carrega uma escultura de Apolo (o Deus da Arte) na fachada e um pórtico composto por imensas colunas, ele abriu suas portas pela primeira vez em 1780.

O interior do teatro também não deixa a desejar, a riqueza de detalhes e o luxuoso lustre francês impressionam. Sugerimos que você consulte a programação no site oficial da casa de espetáculos e se programe para assistir a uma apresentação.

Jardins de Alexandre

Jardins de Alexandre_CC BY-SA 4.0
Jardins de Alexandre enfeitam o centro histórico de Moscou. Foto: Shakka, CC BY-SA 4.0

Embora o concreto predomine no centro histórico da Rússia, lá também é possível encontrar algumas áreas verdes contrastantes. É o caso dos Jardins de Alexandre, um parque vizinho aos muros do Kremlin. Ele abriga charmosas fontes e estátuas, além do Memorial do Soldado Desconhecido, que homenageia os soldados mortos na II Guerra Mundial.  Uma opção de passeio bem agradável.

O que fazer em Moscou: dica de roteiro

Agora que você já conhece alguns dos principais pontos turísticos de Moscou, o próximo passo é organizar um itinerário para garantir que você percorrerá todas as atrações de seu interesse. É claro que na hora de montar o roteiro, o tempo que você tem disponível conta muito. Aqui, vamos compartilhar algumas dicas para explorar a cidade em cerca de quatro dias.

Sugerimos que você comece visitando a Praça Vermelha e os Jardins de Alexandre, passeios mais light para o primeiro dia, enquanto estiver se situando na cidade. Aproveite para jantar em um dos restaurantes da região e experimentar comidas típicas, como um Frango à Kiev. Já no segundo dia, intensifique o circuito turístico e visite o Kremlin, o Mausoléu de Lenin e o Rym, shopping com as marcas mais luxuosas da Rússia.

No terceiro dia, sugerimos que você faça um tour pela Catedral de São Basílico e assista a um espetáculo no Teatro Bolshoi. Para fechar a viagem em grande estilo, reserve o quarto dia para fazer um city tour a pé por Moscou e explorar outros cantinhos, como o Museu Pushkin, a Galeria Tretyakov e a famosa rua Arbat.

E aí, gostou das dicas do que fazer em Moscou? Ficou com vontade de conhecer a capital russa? Conte para a gente nos comentários! ☺️

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta