Aluguel de quartos e apartamentos: como funciona o Airbnb

“Vivencie a cidade como um morador”. Essa é a frase de efeito utilizada pelo Airbnb para definir sua proposta, que permite aos viajantes encontrarem aluguel de quartos, apartamentos e casas em todo o mundo. Fundado em 2008, o portal começou de forma despretensiosa e hoje concorre com grandes hotéis e redes imobiliárias.

Se você é daquelas pessoas que já conhece o Airbnb, deu uma espiada no site e pensou “hmmm, parece interessante”, mas nunca efetivamente teve coragem de apostar no serviço, encontrou o artigo certo. Aqui, vamos mostrar exatamente como essa plataforma pode ser útil na busca por acomodação em suas próximas viagens.

Preparado para desvendar conosco como funciona o aluguel de quartos e apartamentos no Airbnb? ✌️

Airbnb: plataforma ajuda a adequar hospedagem ao seu orçamento. Foto: iStock, Getty Images
Airbnb: plataforma ajuda a adequar hospedagem ao seu orçamento. Foto: iStock, Getty Images

Aluguel pelo Airbnb: veja como funciona

O Airbnb surgiu por acaso. Tudo começou quando os designers Brian Chesky, Joe Gebbia e Nathan Blecharczyk resolveram disponibilizar hospedagem em colchões de ar para três viajantes em busca de estadia.

A experiência serviu como teste para o modelo de negócio, que viria a ser chamado de “airbed and breakfast”. Daí o nome Airbnb, utilizado para batizar a plataforma que reinventou o conceito de aluguel por temporada.

O serviço passou a ser disponibilizado no Brasil em 2012 – e naquele ano já registrava mais de 3.500 anúncios na plataformaSegundo as informações oficiais da empresa, hoje já são mais de 100 milhões de usuários coletando experiências com essa forma alternativa de hospedagem.

A comunidade Airbnb atualmente conecta pessoas de 191 países em mais de 34 mil cidades. A oferta de espaços é ampla. Mas como funciona o serviço na prática? 🤔

Para verificar as opções de hospedagem, tudo o que você precisa fazer é criar um perfil, acessar o site, inserir seu destino e as datas de entrada e saída na caixa de busca, para então descobrir as opções de lugares para ficar.

Você também pode filtrar a pesquisa através de detalhes mais específicos: faixa de preço, se quer casa inteira, quarto individual ou quarto compartilhado, por exemplo.

Airbnb

Aí entra a parte legal: mais do que um portal, o Airbnb funciona como uma rede social. Anfitrião e inquilino precisam ter um perfil para utilização. Sugerimos que você escolha uma foto bacana, que mostre mesmo quem você é, pois algumas reservas são sujeitas à aprovação.

Ao localizar um lugar que parece ideal, você pode conferir as informações detalhadas sobre o imóvel, verificar as avaliações feitas pelos usuários que lá se hospedaram e falar diretamente com o anfitrião para esclarecer quaisquer dúvidas.

airbnb1

Como solicitar aluguel de apartamento no Airbnb

Encontrou o lugar perfeito para sua viagem? Então o próximo passo é solicitar a reserva. Alguns anfitriões solicitam saber um pouco sobre o hóspede antes de confirmar a hospedagem, outros preferem reduzir o tempo de gerenciamento de pedidos e aceitam o pedido instantaneamente, utilizando o recurso Reserva Instantânea.

Para o pagamento, o Airbnb gerencia uma plataforma própria para transferências. O valor pode ser pago em reais e debitado no seu cartão de crédito por meio da conta nacional (sem IOF), ou através de boleto.

Você paga o valor total da estadia (taxa de limpeza e comissão do Airbnb incluídas). Mas olha o detalhe: o dinheiro só é repassado ao anfitrião 24 horas após a hospedagem. Se houver algum problema na entrega e você registrar uma reclamação grave, o pagamento pode ser retido.

Uma vez feita a transação, você vai receber o endereço do apartamento, o e-mail e o telefone do anfitrião. A partir daí, pode começar a combinar os detalhes da entrega do imóvel e da devolução das chaves. Se tiver mais dúvidas sobre as políticas do Airbnb, você pode conferir informações adicionais aqui.

O site também disponibiliza uma Central de Atendimento ao cliente online, que funciona diariamente, 24 horas. Mas, afinal, é seguro ou não buscar hospedagem no Airbnb? Em termos gerais, é. Isso porque ele conta com mais de 40 ferramentas de segurança, desde perfis detalhados com comentários de outros usuários, até sistemas de identificação para confirmar as informações fornecidas e equipes de atendentes disponíveis para fornecer auxílio a qualquer momento. 

Outra grande vantagem do Airbnb sobre uma corretora desconhecida é que por meio da plataforma você pode ter certeza de que receberá suporte caso haja algum problema. Eles têm interesse em ajudar, para manter o alto nível de confiança e qualidade do serviço. Desamparado, você não vai ficar.

Histórias de quem viaja pelo Airbnb

Para saber se um serviço é bacana ou não na prática, nada melhor do que ouvir as experiências de quem já o utilizou. Por isso, fomos atrás de alguns depoimentos de pessoas que se hospedam e/ou disponibilizam hospedagem pelo Airbnb.

Uma delas é a publicitária Priscilla Dias, que coleciona diversas histórias de suas viagens pelo mundo com o serviço de hospedagem alternativo. Ela está no Airbnb desde 2012. Já hospedou mais de 100 pessoas e teve a oportunidade de conhecer mais de 50 países, também se hospedando em hosts pelo site.

A Priscilla e seu marido, Gabriel, alugam dois apartamentos em São Paulo, um na Maria Antônia e outro no Itaim. Em suas experiências com hospedagem, ela viu a renda aumentar. “Já ganhei muito dinheiro e, durante um período, consegui duplicar minha renda mensal“, enfatiza.

Quanto às histórias de hospedagem, em si, a publicitária tem várias a compartilhar. “Quando recebo hóspedes, gosto de levar o pessoal para passear na cidade, ir a shows e conhecer mais da gastronomia e da vida aqui”, explica.

Um de seus hóspedes, inclusive, gravou um depoimento contando um pouco sobre como foi a estadia com ela:

“Outro hóspede frequente nosso, que adora a gente, nos convidou para ficar uma semana na casa dele, na Índia – de graça e até com motorista à disposição 24 horas por dia”, conta ela.

Priscilla e Gabriel têm um filho, o Pedroca, que hoje está com um ano. Quando ele nasceu, recebeu presentes vindos de todas as partes do mundo, enviado por pessoas que já foram guests da família.

Priscilla ama hospedar e hoje, inclusive, viaja a convite do Airbnb para participar de conferências e workshops. “Já estive no Rio de Janeiro várias vezes, em Hong Kong, Taipei, Indonésia, Los Angeles e San Francisco – para citar alguns lugares”, conta. Agora no fim do ano, ela vai viajar para a Argentina.

Uma acomodação mais pessoal

Outra anfitriã do Airbnb é a jornalista Bárbara Keller. Ela está completando um ano na plataforma, oferecendo hospedagem de um quarto no seu apartamento em Gramado, no Rio Grande do Sul. “Em um ano, tive 23 hospedagens (que variaram de 1 a 8 noites). E até o dia 15 de janeiro tenho mais 5 reservas fechadas”, conta.

Bárbara entrou no Airbnb por incentivo de uma amiga. Hoje, elas estão planejando juntas, na companhia dos maridos, fazer uma viagem até a Califórnia (se hospedando pelo Airbnb). A ideia é poupar o dinheiro que ganham alugando o imóvel para financiar os custos.

Na opinião da jornalista, uma das grandes vantagens de se hospedar pelo Airbnb é que você pode ter a experiência de como é morar naquele local que você está visitando. O tal do “Viva Lá” que a plataforma prega.

“Você tira um pouco aquele aspecto da impessoalidade que muitas vezes um hotel tem”, explica Bárbara. “Ao se hospedar na casa de anfitriões, você sempre tem a possibilidade de interagir, pedir dicas sobre a cidade, sugestões de restaurantes, pontos turísticos. E, se você for viajar pro exterior, ainda pode aproveitar pra treinar outro idioma”.

Outra vantagem, na opinião dela, é o custo. “Muitas acomodações possuem preços bem inferiores aos de hotéis. Então, o Airbnb pode te ajudar a realizar o sonho daquela viagem com um custo mais baixo”, indica.

E quanto à questão da segurança? “Talvez eu seja uma pessoa de sorte, mas nessas 23 hospedagens nunca tive problemas. Só tive ótimos hóspedes. Não que problemas não existam (já vi relatos de anfitriões que tiveram), mas acho que isso é a exceção – não a regra. Acho que o Airbnb inspira uma relação de troca, inclusive de confiança. Tanto eu devo confiar no hóspede, como ele deve confiar em mim”, opina Bárbara.

Para quem ainda fica com um pé atrás sobre alugar o seu apartamento ou casa, ela tem a dica. “Converse com outros anfitriões, troque experiências, peça dicas, tire dúvidas. A Central da Comunidade é um bom espaço para isso. O grupo do Airbnb Brasil, no Facebook, também. Afinal, todo mundo que começa tem dúvidas ou precisa de ajuda”, conclui.

Senso de comunidade

O servidor público Eraldo Pedroso também coleciona histórias relacionadas ao Airbnb. Ele acaba de voltar de Los Angeles, onde teve sua experiência mais incrível com a plataforma até agora.

“Fiquei hospedado na casa de uma senhora que veio da Coreia do Norte, mas que mora nos EUA há anos. Como eu tinha uma agenda de compromissos a cumprir lá, foi ótimo: ela me deu todas as dicas de transporte e lugares para comer. No tempo livre, me levou para fazer passeios e mostrou os pontos legais da cidade. Se eu tivesse ficado em hotel, a experiência não teria sido a mesma”, conta Pedroso.

Pedroso - Airbnb
Pedroso participou de uma corrida em San Francisco por indicação de host do Airbnb. Foto: Arquivo Pessoal

Mas Los Angeles não foi seu único destino viajando pelo Airbnb. Em uma ocasião, Pedroso participou de uma competição esportiva em Santa Catarina. Ele e seu time alugaram uma casa e os custos saíram mais em conta do que um hotel. “Foi excelente – e não faltou espaço”, destaca.

Quanto à questão da segurança, ele acredita que o senso de comunidade da plataforma ainda está se desenvolvendo no Brasil. “Aqui temos muito medo da violência, nos sentimos inseguros e costumamos ficar com o pé atrás”, opina.

Mas, como todos os hóspedes e inquilinos são avaliados positiva ou negativamente na plataforma de acordo com a experiência que tiveram, fica mais fácil ser seletivo na hora de escolher onde você quer ficar ou quem aceita hospedar. “Sem falar que o Airbnb tem uma série de recursos de segurança”, acrescenta.

Hospitalidade no Airbnb

O jornalista Dante Grecco, que também utiliza o Airbnb como serviço de hospedagem alternativo, é categórico ao afirmar: “um hotel oferece hospedagem, enquanto o Airbnb oferece hospitalidade“. Ele explica que a grande diferença está justamente na possibilidade de escolher uma casa ou apartamento que combine com o seu estilo, além de trocar ideias com o inquilino e descobrir pontos turísticos, rotas de transporte, restaurantes próximos. Trata-se de personalizar a experiência.

“Pelo Airbnb, consegui me hospedar no Rio de Janeiro com minha família em Copacabana por um preço bem mais baixo do que custaria um hotel nessa região”, compara Grecco. “Na plataforma, é possível encontrar alternativas de lugares para todos os gostos e bolsos. E você pode obter informações específicas sobre a exata localização e as características do imóvel.”

Conforme exemplifica Grecco, em um hotel pode acontecer de você reservar um quarto sem saber que ele é voltado para algum muro ou destituído da vista que você esperava. “Pelo Airbnb, você pode checar todas essas informações. Por isso, o ideal é conversar com o anfitrião pela plataforma para não ter nenhuma surpresa quando chegar ao destino”, sugere.

Nem sempre a experiência é 100%, admite o jornalista. “Em Copacabana, por exemplo, achei o apartamento meio barulhento, era possível ouvir o som dos carros na rua”, conta. Mas é justamente por isso que vale a pena verificar todos os detalhes antes de efetuar a reserva. Assim, sua estadia tem tudo para ser positiva.

Novidades recém-anunciadas pelo Airbnb

A palavra Airbnb remete ao conceito de hospedagem. Mas algumas novidades anunciadas em novembro expandem essa proposta.

Agora, além de oferecer acomodação, o Airbnb permite verificar quais lugares você pode visitar e quais experiências pode ter no seu destino. As possibilidades superam as ofertas de pontos turísticos tradicionais. Já imaginou acompanhar a fabricação de violinos em Paris ou ver as maratonas no Quênia?

No Airbnb, agora, você pode verificar quanto custam essas experiências e comprá-las, se ficar interessado. A proposta da plataforma, de acordo com o CEO da empresa, Brian Chesky, é expandir o conceito de uma viagem focada nas pessoas – para além do quesito hospedagem.

Chamado de “Trips”, o novo ambiente reúne três áreas-chave: Experiences (Experiências), Places (Lugares) e Homes (Acomodações). Futuramente serão acrescentados Voos e Serviços.

“Até agora, o Airbnb lidava com casas. Hoje, estamos lançando o Trips para unificar onde você fica, o que faz e as pessoas que irá conhecer – tudo num só espaço. Queremos que viajar volte a ser algo mágico, com as pessoas colocadas novamente no centro de cada viagem”, diz Brian Chesky, CEO do Airbnb.

E aí, entendeu como funciona o aluguel por temporada através do Airbnb? Já utilizou o serviço ou pretende fazer isso em breve? Como foi a sua experiência? Comente. 

3 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta