Como planejar sua viagem para Paris

A viagem para Paris é uma das mais cobiçadas e invejadas. A capital da França é um reduto de charme e cultura que precisa ser visitado pelo menos uma vez na vida.

A seguir, vamos entender quais são as principais dicas para quem está planejando sua viagem a Paris, quais são os principais cuidados, como economizar no roteiro e como garantir a melhor programação na capital francesa.

Paris é magnífica para todas as idades. Foto: iStock, Getty Images

Passo a passo para sua viagem para Paris

O planejamento da viagem começa pelo básico:

  • Definir a melhor época para viajar
  • Pesquisar acomodações bem localizadas e com preço equilibrado
  • Pesquisar e comprar as melhores passagens
  • Estudar um pouco sobre a cidade e definir um roteiro.

Os três primeiros itens vamos ver nessa primeira seção. O último é um tema muito legal e extenso e está na segunda parte do texto. Vamos lá?

Qual a melhor época para viajar a Paris?

A época de viagem nem sempre é a melhor possível, pois depende de fatores como trabalho, disponibilidade financeira, férias dos filhos e outros mais. O importante é saber que os programas para a estação fria(inverno) são diferentes dos programas para a estação quente. Para bater perna pela cidade e conhecer as ruas de Paris sem muito peso, viajar durante o verão é mais interessante. Já no inverno, os passeios tendem a ser mais focados em ambientes fechados, como museus e restaurantes. A vantagem do inverno é poder entrar em contato com a neve, patinar no gelo e até mesmo tirar algum final de semana para ir a um resort de esportes na neve, como ski e snowboard.

Ir na temporada baixa é o mais recomendado, devido aos preços que já são naturalmente altos em Paris. Mas caso não seja possível, escolha a época da viagem tendo em mente a estação do ano.

Como encontrar boas acomodações?

Paris tem uma ótima infraestrutura hoteleira, incluindo hostels e opções mais baratas. A regra para encontrar uma boa acomodação é utilizar os pesquisadores de hotéis disponíveis online. Os principais sites de buscas de hotéis possuem opções variadas e pesquisando em dois ou três você já terá um mapa de todos os hotéis principalmente. Recomendamos três:

É interessante ficar hospedado próximo à região central ou em um lugar de fácil acesso às atrações de seu roteiro. Uma dica que vale para viagens em geral também.

Como encontrar boas passagens para Paris?

A maior companhia aérea da França é a AirFrance. A empresa conta com vários voos saindo do Aeroporto Internacional de Guarulhos. Para comprar as passagens é preciso ter definido a época da viagem, e a partir daí, pesquisar com a maior antecedência possível. As empresas que fazem voos para Paris saindo do Brasil são:

  • TAM, Air France;
  • SWISS – Conexão em Zurique;
  • British Airways – Conexão em Londres ;
  • KLM – Conexão em Amsterdam;
  • Lufthansa – Conexão em Frankfurt;

Se você tiver flexibilidade, pode tentar associar a época de viagem com as passagens mais baratas que conseguir encontrar. Confira esse guia de como comprar passagens baratas e esse outro sobre como pesquisar voos internacionais.

Agora, de posse das passagens e com a hospedagem garantida, vamos às dicas práticas para o passeio em si.

Dicas práticas para planejar sua estadia em Paris

A França faz parte da União Europeia, incluindo a União monetária. Assim, brasileiros não precisam de visto se forem ficar até 90 dias no país. A moeda local é o Euro(talvez você tenha lembranças do Franco, não?).

Vamos começar pelo roteiro.

Planejando um roteiro em Paris

As atrações em Paris são muitas e variadas. Dependendo do seu gosto pessoal ou de sua família, vocês podem privilegiar os museus e restaurantes ou os clubes noturnos e cafés. Há também os passeios obrigatórios, como a Torre Eiffel e o Museu do Louvre.

Um breve guia de atrações em Paris é o seguinte:

Principais pontos turísticos de Paris

  • Torre Eiffel (é preciso fazer reserva com antecedência)
  • Trocadero (melhor lugar para ver a Torre Eiffel)
  • Arco do Triunfo
  • Champs Elisees
  • Jardim das Tulherias / Jardin des Tuileries
  • Opera Garnier
  • Centre Georges Pompidou
  • Jardim de Luxemburgo
  • Passeio de barco no rio Sena.

Museus

  • Museu de L’Orangerie
  • Museu Rodin
  • Museu Marmottan Monet
  • Museu de História Natural
  • Museu do Louvre
  • Museu D’Orsay.

Igrejas

  • Sacre Cour
  • Notre Dame
  • St Chapelle
  • La Madeleine.

Faça uma mescla com as atrações turísticas principais, museus e igrejas. E é claro, reserve um tempo para conhecer os ótimos cafés e restaurantes da cidade.

Agora, quer conhecer um pouco sobre como a cidade funciona? Saber como pagar mais barato e evitar filas? Qual a melhor maneira de se locomover? Isso é importante para fazer seus passeios com desenvoltura.

Dicas práticas para passear em Paris

Paris tem seus bairros numerados de 1 a 20 – os chamados de arrondissements. Quanto maior o número, mais distante o bairro está da região central. Esses números podem ser úteis na hora de escolher seu hotel também. Em geral, é recomendado ficar nos bairros mais centrais: 1, 2, 4, 5, 6, 7, 8. Para comprar ingressos mais baratos para as atrações e evitar filas, a dica é fazer todas as compras pela internet e com uma boa antecedência.

Paris possui também uma invejável estrutura de transporte público. A melhor maneira para andar pela cidade e se locomover de uma atração para a outra é a pé ou usando transporte público(ônibus ou metrô).

A malha de metrô é bem grande e pode te deixar confuso às vezes, principalmente no começo, mas nada que uma ou duas viagens para quebrar o gelo já não resolva. Alguns viajantes preferem os ônibus, pois permitem que você veja a paisagem urbana à medida que vai de um lugar a outro. Também é a nossa recomendação. Os ônibus são bem eficientes e permitem que você sinta e veja a cidade à medida que anda por ela.

Agora que você já conhece as dicas principais, é hora de botar a mão na massa e pesquisar bastante por passagens aéreas e hotéis que resultem em uma viagem equilibrada. Para você não ter dúvidas de que está fazendo tudo certo, deixamos ainda essas quatro recomendações de leituras:

E um aviso importante:

Cuidado com os golpes em Paris

A capital da França resguarda alguns dos mais belos monumentos de todo o mundo. Mas, justamente por ser um destino sempre repleto de turistas, é essencial conferir algumas dicas de segurança na viagem para Paris. Eu estive lá recentemente e posso afirmar por experiência própria: se você não estiver atento, poderá ser vítima de um golpe. 😟

Texto: Rafaela Kich, Mapa do Mundo

Infelizmente, é provável que em qualquer cidade movimentada ou essencialmente turística você encontrará pessoas oportunistas, que se aproveitam da desatenção dos visitantes para lucrar. É fato: o mundo dos golpes em turistas é praticamente um business, que opera 24 horas – inclusive em plena luz do dia e com a polícia a poucos metros dali.

O que você pode fazer para se proteger? Estar atento e evitar os truques mais comuns. É sobre eles que vou falar a seguir.

Jogo do copo
Jogo do copo é um dos golpes mais clássicos em Paris. Foto: iStock, Getty Images

Principais dicas de segurança na viagem para Paris

Antes de partir para as dicas, é bom esclarecer: Paris, em termos gerais, é uma cidade segura. Você não precisa caminhar à noite com medo de ser esfaqueado em um assalto, por exemplo, como nós costumamos ter aqui no Brasil.

Os principais golpes ocorrem nos centros turísticos, perto dos monumentos mais visitados: Torre Eiffel, Sacre Coeur, Notre Dame, para citar alguns, ou dentro do próprio metrô – geralmente lotado. Com isso em mente, confira a seleção de dicas de segurança abaixo. 😉

Guarde dinheiro e documentos em uma pochete

Os chamados pickpockets, os ilustres batedores de carteira, estão sempre à espreita de turistas distraídos. No próprio metrô e na Torre Eiffel, há avisos em inglês dizendo: tome cuidado com os seus pertences, “beware of pickpockets”.

Por isso, independente do quão atento você é, não dê chance ao azar: procure não andar com muito dinheiro e, se for levar uma quantia maior, guarde na pochete. Nunca leve dinheiro e documentos em uma mochila com bolsos nas costas. Se não for necessário levar tudo para um passeio, deixe no cofre do hotel.

Desconfie das pessoas que o abordam nos pontos turísticos

Em basicamente todos os pontos turísticos de Paris, haverá pessoas tentando se aproximar de você e conversar. O objetivo deles é aplicar algum dos golpes mais clássicos na cidade, como o das fitinhas no pulso ou o da petição (vou falar um pouco sobre eles adiante).

De forma geral, a dica é: se alguém se aproximar de você perguntando “do you speak english?”, ou oferecendo uma pulseirinha, se afaste imediatamente. Não se sinta mal por dar as costas, eles estão tentando lhe aplicar um golpe.

Nunca aposte dinheiro em um jogo na rua

Antes de ir para Paris, eu já tinha ouvido falar no jogo do copo (também vou explicar mais adiante o que é isso, caso você não saiba). Mas o que me impressionou de verdade é a audácia dos farsantes que fazem tudo com a polícia ali do lado. Isso é possível, pois há sempre um integrante da quadrilha espreitando quando um oficial se aproxima.

É até interessante observar como eles recolhem todo o aparato rapidamente diante do aviso do vigilante. Mas basta a polícia se afastar um pouco para os vigaristas começarem a aplicar o golpe novamente.

A dica de segurança, portanto, é: jogos de azar na rua são uma furada. Nunca aposte seu dinheiro, por mais que pareça que outros turistas estão bem felizes tentando a sorte com 50 euros ali (geralmente, eles são membros da quadrilha que fingem apostar para incentivar você a fazer isso também).

No aeroporto, somente pegue táxi no ponto

Eu caí nesse golpe e vou explicar melhor como ele acontece abaixo. Então, por favor, não seja tão ingênuo quanto eu e evite qualquer “motorista particular” no aeroporto – mesmo que ele venha abordá-lo inofensivamente e tenha documentos para dirigir. O valor cobrado pode triplicar.

Cuidado com vendedores informais

Já li vários relatos de pessoas que foram a Paris e tiveram problemas com vendedores informais, especialmente quando o assunto são compra de tickets para atrações e metrô. Se alguém o abordar, não dê chance.

No metrô, os únicos lugares para comprar bilhetes são as máquinas que você encontra na estação ou os guichês com atendentes, também na própria estação. Para atrações, informe-se sempre na bilheteria oficial.

Tenha o número do consulado brasileiro em mãos

Diante de qualquer problema, furto ou perda de documentos, entre em contato com o consulado brasileiro em Paris.

Endereço: 34, cours Albert 1er – 75008 Paris

Telefone : 01 45 61 63 00 / Fax : 01 42 89 03 45

Site: www.bresil.org

E-mail: ambassade@bresil.org

Viagem para Paris: evite os golpes mais comuns

Agora que você já está por dentro das dicas de segurança, vale a pena entender um pouco melhor o porquê de estar atento a elas. Entenda, abaixo, como ocorrem alguns dos golpes mais comuns em Paris.  

Golpe da fitinha no pulso

Em todas as zonas turísticas de Paris, há muitos vendedores ambulantes. Se algum deles se aproximar de você e começar a puxar papo, já desconfie. No início eles vão falar palavras simpáticas, pedir de onde você é, vão adorar que é brasileiro e até falar de futebol. A ideia é justamente passar a impressão de que são simpáticos.

Aí, quando você já estiver bem distraído, é que acontece a extorsão: eles pedem que você estenda o braço e começam a amarrar uma fitinha colorida no seu pulso (tipo aquelas do Bonfim), e depois você não vai conseguir tirar. E aí, o que eles fazem? Cobram pela pulseirinha!

Caso não pague, a abordagem será mais incisiva e já menos simpática. O resultado? A maioria dos turistas paga alguns euros apenas para se livrar da incomodação.

Golpe do jogo do copo

Um tapetinho no chão, três copos e uma bolinha. A movimentação dos farsantes que aplicam esse golpe atrai os olhares curiosos de qualquer turista. A ideia é simples: quem orquestra o truque movimenta os copos e, quando ele para, os participantes do jogo apostam embaixo de qual deles está a bolinha.

Como já falei, porém, os outros supostos apostadores costumam ser membros da própria quadrilha. É tudo manipulado. A única coisa certa é que você vai perder dinheiro.

Golpe da petição

Golpes que apelam para o seu lado emocional são outro clássico parisiense. Perto dos pontos turísticos da cidade, há sempre algumas meninas que abordam turistas com uma prancheta e uma caneta em mãos, pedindo “do you speak english?”. Nem se dê ao trabalho de responder.

Das duas opções, ou elas vão pedir dinheiro para ajudar uma causa humanitária que nem ao menos existe, ou elas vão distrair você enquanto outra parceira tenta roubar algo do seu bolso. Por isso, nem se dê ao trabalho de responder à abordagem inicial.

Golpe do aeroporto

Ao ler esses golpes, você pode estar pensando: eu não seria tão ingênuo de cair num truque desses. Mas lembre-se de que há muitas variáveis no processo: você vai estar num lugar desconhecido, pode estar meio desnorteado de cansaço ou do fuso horário, enfim: talvez não esteja tão consciente quanto no momento em que está lendo esse artigo.

Bem, eu atribuo todos esses fatores citados como variáveis que me fizeram cair em um golpe logo quando cheguei no aeroporto Orly, em Paris.

O que ocorreu foi basicamente o seguinte: na madrugada seguinte, levantamos (eu e meu namorado) às 4h da manhã para pegar um voo às 6h – partindo de Portugal com destino à capital da França. Já havíamos reservado um motorista pela internet para nos encaminhar ao hotel chegando lá, justamente para que tudo ocorresse com mais tranquilidade.

Não sei se por causa do fuso entre Portugal e Paris ou por desentendimento, o motorista não estava lá quando chegamos. Nesse momento já ficamos um pouco desnorteados e pensamos “ok, vamos encontrar o ponto de táxi para ir até o hotel, de repente com esse comprovante da internet eles já vão nos encaminhar direto para outro motorista”.

Quando começamos a buscar placas e seguir o fluxo para tentar descobrir onde era o ponto de táxi, um homem nos abordou pedindo se a gente precisava de táxi, de onde a gente era, etc. Como todo bom golpista, ele parecia simpático e nos disse para ir com ele. Nos olhamos desconfiados, mas pensando que talvez ele fosse nos levar ao ponto onde ficavam os carros. Só que não.

Quando vimos, estávamos indo para o elevador rumo ao estacionamento do aeroporto – e não ao ponto de táxi. Aí subiu o alerta máximo. Começamos a perguntar se ele tinha documentos para nos comprovar que era motorista e ele explicou que era um motorista particular, mostrou a licença, disse que sabia onde era nosso hotel e até que nos daria um comprovante para tentar reembolsar o valor do táxi e tudo mais. Na lábia ele foi nos levando, ajudou a colocar as bagagens no porta-malas, enfim.

Mesmo desconfiados, acabamos indo com ele. Até aí, eu estava mais preocupada em chegar ao hotel em segurança do que com dinheiro. De fato, ele nos levou até lá. Mas escondeu o taxímetro em todo o percurso.

Chegando no hotel, um trajeto que teria nos custado no máximo 35 euros (foi o valor que pagamos de táxi na volta para o aeroporto – de madrugada), saiu por 99 euros. A gente nem discutiu para não nos aborrecermos mais, pois a sensação de cair em um truque desses já faz você se sentir um pateta.

A questão é esta: em Paris, a maioria desses golpes são inofensivos. Os caras querem é faturar, não lhe machucar fisicamente ou algo do tipo. Mas é sempre bom estar atento. Depois, inclusive tentamos escrever um e-mail para o motorista reclamando da cobrança absurda (constava um endereço no comprovante que ele nos deu). A mensagem retornou na hora, pois o destinatário não existia. Era uma conta falsa.  

Moral da história: no aeroporto, só pegue táxi no ponto e nunca ande com motoristas particulares. Alguns são habilitados para essa função, outros não. Mas, de qualquer modo, eles vão cobrar mais caro que um carro regular.

Dica: se você adora viajar ou pretende conhecer destinos que sempre estão lotados de turistas, assista aos episódios de Scam City (em português, “Capitais do Delito”).

Nesse seriado da National Geographic, o apresentador Conor Woodman viaja para diversos destinos e passa pelo papel de turista desavisado para ver quais golpes serão aplicados neles. Tudo é filmado e você pode ver direitinho como os farsantes operam. Todas as temporadas estão disponíveis na Netflix e há um episódio especial só sobre Paris.

Vale dar uma conferida, ainda, neste especial da Globo News sobre alguns dos golpes mais comuns na capital francesa.

E aí, o que achou dessas dicas de segurança na viagem para Paris? Você conhecia esses truques? Já foi vítima de algum deles? Conte para a gente nos comentários. 🙂

Deixe uma resposta