Como visitar as piscinas naturais em Porto de Galinhas

As piscinas naturais em Porto de Galinhas são uma atração imperdível para quem quer viajar ao nordeste brasileiro. Formadas na maré baixa, a cerca de 200 metros da praia central, elas reúnem águas cristalinas e lindos peixes coloridos 🐟🐠🦀. Um passeio agradável e que rende belas fotografias de lembrança. 

O tour pelas piscinas, com direito a mergulho de snorkel, é uma das atrações mais cotadas pelos turistas. Por isso, é bom se preparar para a visita e conferir algumas dicas para aproveitar ao máximo esse passeio.

Vamos lá?

Piscinas Naturais
Porto de Galinhas: opção de destino para quem busca piscinas naturais. Foto: iStock, Getty Images

Piscinas naturais em Porto de Galinhas: dicas para a visita

Existe uma ciência por trás da formação das piscinas naturais. Na verdade, elas são um fenômeno que ocorre de acordo com a posição do mar em relação ao grande arrecife próximo de costa. Quando a maré fica baixa, formam-se ali os buracos com as águas cristalinas repletas de peixinhos, onde você pode nadar.

A primeira dica, portanto, é descobrir quando a maré vai baixar. Caso contrário, você pode chegar a Porto de Galinhas e constatar que as águas da vazante não ficaram represadas nos recifes. Ou seja: nada de “aquários naturais” para visitar. Mas como fazer isso?

Veja as dicas para usufruir ao máximo do passeio até as piscinas naturais em Porto de Galinhas:

1. Tábua das Marés

Primeiro item para quem deseja contemplar as piscinas naturais: viaje no período da maré baixa, de 0.0 a 0.5 m. No site do Clima Tempo, você consegue verificar a previsão para diferentes dias do ano, em várias praias do Brasil.

Quanto mais seca estiver a maré, mais cristalina estará a água. 🌊

2. Lua

Outra dica é ficar de olho na lua. O nível das marés se modifica de acordo com ela.

Em dias de lua cheia e nova, o movimento das marés ocorre de forma mais radical: portanto, eles são os mais interessantes para conhecer as piscinas naturais. Se possível, agende o passeio para uma data em que os níveis estejam entre 0,1 e 0,3 m.

3. Antecedência

Para aproveitar bem essa aventura, chegue com antecedência à praia. Você encontra as piscinas naturais no seu melhor estado (mais límpidas) entre uma hora e meia antes e uma hora e meia depois da maré atingir o nível mínimo.

Isso sem falar que, como os passeios são bem concorridos, chegar cedo ajuda a garantir um lugar na jangada para ir até os aquários ao ar livre (o transporte custa cerca de R$15).  

4. Cuidados

As piscinas naturais são cercadas por recifes, pelos quais você pode caminhar e tirar fotos. Mas lembre-se de usar uma sandália ou tênis, com o intuito de evitar uma pisada dolorida em ouriços escondidos nos corais.

Onde encontrar piscinas naturais no nordeste

Além da praia central de Porto de Galinhas, em Ipojuca (PE), há diversos outros locais que oferecem piscinas naturais belas – e até menos concorridas – como opção aos viajantes. Japaratinga e Barra Grande são outras opções de praias onde é possível encontrar os aquários ao longo da costa nordestina. Isso sem falar em Maragogi, no norte de Alagoas.

Outra dica é que nem todas as piscinas naturais ficam no meio do mar. Em alguns casos, a maré baixa represa a própria praia, garantindo águas cristalinas e banhos inesquecíveis. 😍

O fenômeno acontece, por exemplo, na Barra de São Miguel e na Praia do Francês, ao sul de Maceió, na praia de Boa Viagem, em Recife e na própria Praia da Vila, em Porto de Galinhas. Vale incluir esses recantos paradisíacos no seu roteiro pelo nordeste.

E aí, curtiu as dicas para visitar as piscinas naturais em Porto de Galinhas? Está planejando um roteiro pelas praias do nordeste? Comente! 👍


Deixe uma resposta