Como e por que visitar o Jardim Botânico do Rio de Janeiro

O Jardim Botânico do Rio de Janeiro é uma atração imperdível na Cidade Maravilhosa.

Tem uma história interessante, já que foi fundado no início do século 19 pelo então príncipe regente do reino do Brasil, Dom João VI.

Mas o maior apelo do Jardim Botânico está em sua beleza, que serve de cenário grandioso para muitas fotos.

Veja esta imagem:

Jardim Botânico - Rio de Janeiro
Palmeiras do Jardim Botânico. Foto: Mapa do Mundo

O Jardim Botânico do Rio de Janeiro é considerado pela Unesco como reserva da biosfera da Mata Atlântica desde 1992 e é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional desde 1937.

Localizado na Zona Sul da cidade, no bairro homônimo, o jardim pode ser visitado com calma e com disposição para a caminhada.

Neste post, você vai entender como, por que e quando visitar o Jardim Botânico no Rio de Janeiro. Preparado? Vamos lá.

Como visitar o Jardim Botânico do Rio de Janeiro

A visita ao Jardim Botânico do Rio de Janeiro pode ser feita de forma inteiramente independente, sem a necessidade de um guia turístico. 

Mas é preciso algum fôlego para enfrentar a caminhada no verão.

O staff da fundação que administra o jardim disponibiliza três roteiros de trilha que podem ser seguidas a partir de folhetos informativos e de placas ao longo dos trechos.

Existe também o jardim virtual, um aplicativo desenvolvido para que as pessoas possam conferir, ponto a ponto, informações sobre monumentos, personagens, edificações e espécies vegetais que fazem parte da história do jardim botânico.

Assim, recomendamos que para a visitação você baixe o app (versões disponíveis tanto para Android quanto para iOS) em seu smartphone e escolha uma das 3 rotas sugeridas pelo museu.

São elas: a trilha das árvores nobres, a trilha histórica e a trilha das artes. Cada um desse trajetos proporciona ao visitante uma experiência das mais interessantes. Confira, a seguir, o que você não pode deixar de ver em cada roteiro.

Trilha das árvores nobres

As palmeiras, orquídeas e flores das mais diferentes origens e espécies são um capítulo à parte em uma visita ao Jardim Botânico do Rio de Janeiro. A variedade de cores, tipos e tamanhos são de encher os olhos.

Quem opta pela trilha das árvores nobres poderá ver isso e muito mais. Para se ter uma ideia do que estamos falando, a cada 20 min de caminhada (a trilha dura, em média, 1h e 30min) é possível observar uma queda d’gua ou uma nascente.

Chama a atenção também a liberdade de alguns animais em meio a vegetação. Micos-estrela, macacos-prego e espécies raras de pássaros podem ser vistas a todo momento. Nos lagos você poderá ver também tartarugas e alguns peixes.

Em meio a essa trilha, você não pode deixar de dedicar alguns minutos ao orquidário, onde estão reunidas mais de 600 espécies de orquídeas. Para organizar esse espaço, foi construída uma estrutura oval de madeira anexa a uma estufa, combinação, que junto a plantas, forma uma composição muito bonita e delicada.

Você também não pode deixar de fazer aquela clássica foto entre as palmeiras imperiais, que impressionam pela altura — quase 40 metros.

Um “clique” realizado a partir de uma distância razoável entre a câmera e a pessoa fotografada dará bem a dimensão de toda a grandeza desse espécie rara de planta originária do Caribe.

Trilha histórica

A trilha histórica proporciona uma visita aos principais monumentos e edificações que contam a história do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Quem opta por essa rota terá como primeira parada o Museu do Meio Ambiente.

Nesse local, você poderá ver exposições que, geralmente, discutem os dilemas ambientais da contemporaneidade. Aqui você verá também a Biblioteca Barbosa Rodrigues que foi criada para abrigar o acervo botânico da família Imperial.

Dando continuidade ao passeio, você terá um encontro formidável com a árvore que carrega o nome de nosso país e concentra um capítulo importante de nossa história: o Pau-Brasil. Sua madeira de cor brasa já foi fonte da ambição de nossos colonizadores por muitos anos.

Nós poderíamos ainda falar de uma centena de pontos que merecem ser contemplados na trilha histórica. Para melhor resumir todas essas maravilhas, organizamos uma lista do que você não pode perder. Confira:

  • Memorial Chico Mendes
  • Lago da vitória-régia
  • Estufa das plantas insetívoras
  • Bosque das nações.

Trilha das artes

A trilha das artes, como o próprio nome diz, é dedicada a expressões artísticas reunidas no Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Assim, você encontrará uma série de bustos, chafarizes, edificações e monumentos que contam um pouco da história do Brasil e desse local por essa perspectiva.

E o ponto alto desse roteiro é o Memorial Mestre Valentim, onde você encontrará as primeiras estatuas em material fundido feitas no Brasil. Logo em seguida, você poderá visualizará também as ruínas da antiga fábrica de pólvora construída já no de fundação do jardim.

Entre muitos outros pontos para visitação interessantíssimos, você verá também:

  • busto de D. João VI;
  • portal da antiga Academia de Belas Artes
  • monumento a Tom Jobim
  • relógio de sol.

Dicas para o passeio no Jardim Botânico do Rio de Janeiro

O Jardim Botânico funciona de terça a domingo, das 8 às 17h. Os ingressos custam R$ 15,00 e podem ser adquiridos na portaria, onde não é aceito cartões de crédito e débito, apenas dinheiro. Estudantes e idosos acima de 60 anos pagam meia entrada mediante a apresentação de documento.

O acesso ao Jardim Botânico para quem utiliza transporte público deve se dar, preferencialmente, de ônibus.

Isso porque partindo da estação de metrô mais próxima (estação Botafogo) não é recomendado que se faça o trajeto a pé em função da distância a ser percorrida — 5 km. Próximo ao metrô existe, inclusive, uma linha integrada que percorre esse trajeto.

A entrada de carros só é permitida para embarque e desembarque de passageiros. Portanto, quem optar por esse meio de transporte deve buscar um estacionamento nas imediações do Jardim.

Outra recomendação importantíssima: vista roupas leves e vá de tênis. As caminhadas para cobrir todos os pontos de visitação são extensas, de modo que uma roupa inadequada pode estragar o seu passeio.

Vale a pena visitar o Jardim Botânico no Rio?

Bem, como você pôde acompanhar neste post, o Jardim Botânico do Rio de Janeiro reúne centenas de atrações que fazem valer esse passeio valer muito a pena. Há quem considere esse o melhor ponto turístico longe das praias da cidade maravilhosa.

Em resumo, nossa dica é: não perca essa oportunidade de viver essa linda experiência. Não reserve menos que uma tarde ou uma manhã para a visita, pois os roteiros de visitação são bem extensos.

Gostou das dicas sobre o Jardim Botânico? Quer mais ideias e roteiros no Rio de Janeiro? Comente.

Deixe uma resposta