A história de Bento Gonçalves

Habitada inicialmente por indígenas, Bento Gonçalves chamava-se Cruzinha até 1870, devido a uma cruz cravada sob a sepultura de um possível tropeiro ou traçador de estradas. Em 1875 os primeiros imigrantes italianos aportam na Encosta Superior do Nordeste, originando a Colônia de Dona Isabel, hoje Bento Gonçalves, em homenagem à princesa Isabel de Bragança.

Com o passar do tempo a Colônia Dona Isabel foi se desenvolvendo, em cinco anos a região já contava com quatro mil novos habitantes, entre nascimentos e novos imigrantes. A primeira estrada de rodagem iniciou em 1881, ligando a Colônia Dona Isabel a São João de Montenegro, hoje Montenegro. A separação entre os dois municípios aconteceu em 11 de outubro de 1890, quando a Colônia Dona Isabel passa a se chamar de Bento Gonçalves, em homenagem ao general Bento Gonçalves da Silva, herói da Revolução Farroupilha, ocorrida de 1835 a 1845.

Em 1950 a cidade era movida pelo setor agrícola e possuía uma população em torno de 22 mil habitantes. Em 1967 Bento Gonçalves passa a ser conhecida nacional e internacionalmente com a primeira Festa Nacional do Vinho (Fenavinho). O município passa a se dedicar cada vez mais ao turismo e se torna palco de diversos eventos de grande porte, como a Expobento e a Fimma.

Situada no alto da Serra Gaúcha com 382,5 Km² e uma população com mais de 100 mil habitantes, Bento Gonçalves é hoje um dos principais destinos turísticos do RS.

Deixe uma resposta