Dicas para visitar o Poço Azul na Chapada Diamantina

O Poço Azul na Chapada Diamantina é um daqueles recantos escondidos, de uma beleza singular digna de outro mundo. Difícil explicar em palavras, mas procure imaginar uma gruta onde águas cristalinas têm uma coloração azul turquesa vivo – reflexo dos feixes de iluminação do sol que penetram as cavernas. Parece incrível, certo? Pode apostar que é. 😉

Mas não pense que o único atrativo do Poço Azul é apenas contemplar a beleza e tirar algumas fotos de recordação. Você realmente pode nadar nas águas. E o mais legal é que, mesmo com profundidades de 10 a 61 metros, o visitante consegue enxergar todas as formações rochosas ao fundo. É de chorar de tão lindo.

Se você está planejando uma viagem até a região central da Bahia, não deixe de fazer o passeio. A seguir, entregamos todas as dicas para montar seu itinerário incluindo uma visita ao Poço Azul na Chapada Diamantina.

Poço Azul
Poço Azul, na Chapada Diamantina, é um espetáculo. Foto: iStock, Getty Images

Poço Azul da Chapada Diamantina: como visitar?

Na região serrana da Bahia, o Parque Nacional da Chapada Diamantina possui cerca de de 152 mil hectares e representa um paraíso guardião de riquezas naturais. Ele foi criado em 1985, através do Decreto Nacional n˚91.655, justamente com o intuito de preservar a riqueza ecológica da área.

A área do parque engloba uma parte da região da Chapada Diamantina – a cerca de 425 km de Salvador, capital do estado – que é repleta de cidadezinhas pitorescas. Nelas, o turista encontra hospedagem e, a partir daí, pode traçar diferentes roteiros para explorar a área. É por isso que há diversas alternativas de rotas para chegar até o Poço Azul.

As três cidades principais onde os viajantes ficam hospedados na Chapada são Andaraí, Mucugê e Lençóis. O Poço Azul fica a 46 km de distância da primeira, 64 km da segunda e 86 km da terceira. Ele pode ser acessado pela estrada que leva a Itaetê, no Km 47 – mais precisamente no município de Nova Redenção.

Possibilidades para chegar até a caverna não faltam. Você pode alugar um carro e organizar um passeio por conta própria, ou contratar o serviço junto a uma agência de turismo. Há diversos grupos que saem da cidade de Lençóis e fazem paradas no Poço Azul e no Poço Encantado, por um custo médio de R$ 209 – incluindo almoço e a taxa de visitação.

O acesso ao Poço Azul é feito a partir das margens do rio Paraguaçu, onde há uma pequena trilha a ser percorrida por cerca de cinco minutos. Não é nada exaustivo. Depois, é só curtir o cenário, flutuar e nadar nas águas transparentes.

Dicas para explorar o Poço Azul na Chapada Diamantina

Para tornar seu passeio até o Poço Azul ainda mais incrível, vamos compartilhar aqui algumas sugestões pontuais – e aproveitar para tentar esclarecer quaisquer possíveis dúvidas.

Já vale tomar nota: se você quer ver o momento exato em que o raio de sol ultrapassa a gruta, programe o passeio entre 8 de fevereiro e 20 de outubro, preferencialmente entre 12h30 e 14h. São os horários de melhor visibilidade. Na alta temporada, geralmente o tempo de permanência na atração é de 40 minutos; na baixa, são cerca de 20.

Importante: o Poço fica fora do Parque Nacional Chapada Diamantina, por isso a entrada é paga separadamente – o custo é de R$ 15. No local também é possível alugar equipamentos de mergulho e colete salva-vidas. Para o passeio, lembre-se de levar óculos de sol, protetor solar, repelente contra insetos, roupa de banho, boné, um agasalho para o retorno e água.

E aí, gostou das dicas para visitar o Poço Azul na Chapada Diamantina? Pretende fazer o passeio? Conte para a gente nos comentários! 😉

Deixe uma resposta