Confira os pontos turísticos de Lisboa que precisam entrar no seu roteiro

Impossível não se apaixonar pela cidade e pelos pontos turísticos de Lisboa.

Para nós, brasileiros, chegar ao coração de Portugal é como se transportar direto ao passado.

A sensação é a de estar no centro histórico de uma grande cidade brasileira – só que por lá ele não é abandonado, e sim belo, charmoso e funcional.

Construções históricas preservadas. Monumentos intocados. Bondinhos. Ruas ladrilhadas.

Esse é o cenário com o qual o visitante se depara, especialmente na região chamada de Baixa Lisboa, a que mantém os pontos turísticos de Lisboa mais tradicionais.

Neste artigo, vamos compartilhar algumas dicas daquelas atrações que precisam entrar no seu roteiro.

Preparado? ✌️

Lisboa
São imagens assim que você vai encontrar em Lisboa. Foto: Rafaela Kich/Arquivo Pessoal

11 pontos turísticos de Lisboa (os imperdíveis)

Seu roteiro em Portugal precisa passar pelos pontos turísticos de Lisboa que se confundem com a própria história da cidade através dos séculos.

Há muito o que fazer em Lisboa, como você vai ver nas próximas linhas.

Mas a boa notícia é que alguns ficam próximos e outros, embora mais afastados, são facilmente acessíveis através das linhas de metrô e comboio que atravessam a cidade.

Nós testamos este roteiro em Lisboa e garantimos: mesmo que você só tenha dois ou três dias, é possível percorrer muitos destes pontos. 😉

1. Castelo de São Jorge

Castelo de São Jorge
Castelo é um dos principais símbolos de Lisboa. Foto: Rafaela Kich/Arquivo Pessoal

Há vários motivos pelos quais o Castelo de São Jorge pode ser o ponto turístico número um de Lisboa.

O primeiro é o próprio aspecto histórico: o local foi construído com o intuito de preservar a cidade das invasões romanas, portanto foi palco de diversas guerras e lutas através de seus mais de oito séculos de existência.

Lá existe uma exposição que reconta os principais acontecimentos e uma galeria que reúne diversos artefatos encontrados no castelo com o passar do tempo.

Outro fator que faz valer a visita é a própria subida até o local, que fica na região mais alta da cidade. Você vai precisar de fôlego, mas as casinhas charmosas e históricas que moldam as ladeiras até lá tornam a experiência incrível.

Terceiro fator pelo qual o Castelo de São Jorge é indispensável: a vista. Você terá uma visão privilegiada (e inesquecível) da cidade e do Rio Tejo. Rende belas fotografias de lembrança. Nós pagamos 8,50 euros para entrar – cerca de 31 reais, e a visita valeu cada centavo.

Castelo de Lisboa
Vista do castelo é imperdível. Foto: Rafaela Kich/Arquivo Pessoal

Dica de segurança: como a região do Castelo é bastante movimentada e repleta de turistas, cuidado com os pickpockets (famosos batedores de carteira) e pessoas que se aproximam tentando colocar pulseirinhas no seu pulso e puxar conversa.

Depois eles podem lhe pedir dinheiro.

2. Torre de Belém

Torre de Belém
Torre de Belém é outro símbolo de Lisboa. Foto: Rafaela Kich/Arquivo Pessoal

Um dos principais pontos turísticos de Lisboa, a Torre de Belém fica um pouco mais afastada da Baixa Lisboa, mas vale dar um pulinho até lá.

Construída há mais de 500 anos, sua estrutura fica nas margens do Rio Tejo.

Só de contemplar sua beleza por fora você já vai se sentir em um filme. Desde 1983, a construção é classificada como Patrimônio Mundial pela UNESCO.

É preciso desembolsar 6 euros (cerca de 25 reais) para percorrer a estrutura que já serviu como forte, prisão, alfândega e farol.

Nela, você poderá observar canhões e as imponentes grades de ferro das antigas celas. Imperdível para quem curte história e guerras.

Na nossa experiência com a Torre, a única questão decepcionante foi que o terraço principal estava fechado para reformas, então não conseguimos contemplar a melhor vista lá de cima. Ainda assim, o passeio valeu a pena.

3. Mosteiro dos Jerônimos

Mosteiro de São Jerônimo
Vale a pena conhecer ou pelo menos passar na frente do Mosteiro e contemplar sua imponência. Foto: Rafaela Kich/Arquivo Pessoal

No caminho até a Torre de Belém, você vai se deparar com uma enorme construção recheada de turistas em sua volta.

É o Mosteiro dos Jerônimos, outro ponto turístico bem conhecido de Lisboa.

Uma obra-prima da arquitetura portuguesa, ele foi fundado pelo rei D. Manuel I, ainda no início do século 16, e posteriormente foi doado para os monges Jerônimos. Eles permaneceram ali até meados do século 19.

A visita vale a pena para quem é fã de arquitetura e quer conhecer um pouco mais das dependências conventuais, incluindo o antigo refeitório dos monges, os claustros e a sala da Antiga Livraria.

O ingresso custa 10 euros, algo em torno de 42 reais.

4. Arco da Rua Augusta

Arco da Augusta
Arco da Augusta é uma obra-prima de Lisboa. Foto: Rafaela Kich/Arquivo Pessoal

A Rua Augusta é uma das mais movimentadas ruas comerciais de Lisboa e pode ser considerada, sim, um dos grandes pontos turísticos da cidade.

Recheada de restaurantes e lojas, vale dar uma passadinha por lá para fazer umas comprinhas e depois visitar o Arco que fica em uma de suas extremidades, a entrada da Praça do Comércio.

O arco triunfal foi desenhado pelo arquiteto Santos de Carvalho, como uma forma de celebrar a reconstrução da cidade após o grande terremoto de 1755.

A obra só foi verdadeiramente concluída em 1873, trazendo em sua decoração estátuas de importantes personagens da história, como Vasco da Gama e Marquês do Pombal.

Em 2013, o Arco passou por um processo de readaptação para garantir que os visitantes pudessem subir até o seu topo.

E acredite: talvez o valor de 2,50 euros para chegar ao terraço sejam os mais bem gastos de toda a sua viagem em Lisboa.

A vista lá de cima é incrível.

Dica: se possível, vá no fim da tarde. Contemplar o pôr do sol no Rio Tejo do Arco é uma experiência sem precedentes.

5. Monumento aos Descobrimentos

É impossível pensar em Lisboa sem recordar o passado das Grandes Navegações, e a melhor forma de reviver essa história é visitar o Monumento aos Descobrimentos.

O monumento é obra do arquiteto Cottinelli Telmo (1897-1948) e do escultor Leopoldo de Almeida (1898-1975), considerado uma peça emblemática da Exposição do Mundo Português.

Basicamente, o monumento é uma homenagem aos portugueses notáveis ligados aos descobrimentos, incluindo figuras como D. Henrique, O Navegador, Nuno Gonçalves e Camões.

Seu formato de caravela é uma lembrança lúdica para qualquer pessoa, e ainda há um auditório no interior do monumento onde são realizados eventos, palestras e exposições.

Com 56 metros de altura, o Monumento aos Descobrimentos é um retrato imponente de uma época gloriosa para Portugal, que também desperta imediatamente a lembrança de nossa própria história.

Dica: não perca a vista espetacular do miradouro no alto do monumento, e lembre-se de descer ao piso 1 para conferir as exposições da semana.

6. Centro Cultural de Belém

Centro Cultural de Belém
Centro Cultural de Belém tem calendário recheado de atrações musicais e teatrais. Foto: Therese C, CC BY-SA 2.0

O Centro Cultural de Belém ou CCB é um dos maiores centros culturais da Europa, e vale a visita para quem é apaixonado por música, teatro, dança e cinema.

A instituição é gerida por uma fundação cultural e tem a missão de promover a arte em todas as suas vertentes, da ópera ao jazz, do teatro à dança.

O local foi construído em 1988 e se destaca pelos amplos espaços, auditórios modernos e um centro de espetáculos com mais de 1500 lugares, equipado com as últimas tecnologias.

Caminhar pelo CCB é como visitar uma pequena cidade, distribuída em 97 mil metros quadrados de construções, lagos, jardins, ruas e praças.

Além disso, o local conta com restaurantes típicos, cinema 3D e um centro de reuniões exclusivo para grandes eventos corporativos.  

Dica: antes de ir ao centro cultural, confira a programação atualizada no site para aproveitar as melhores atividades (vale mencionar que não abre às terças-feiras).

7. Casino Estoril

Casino Estoril
Casino Estoril é o maior cassino da Europa. Foto: Outi-Maaria Palo-oja, CC BY-SA 2.0

A Europa não tem Las Vegas, mas o maior cassino do continente está em Lisboa e se chama Casino Estoril.

Trata-se de um ponto turístico de Lisboa que não figura tanto nos guias tradicionais.

Mas, para quem gosta de jogos e do clima de cassino, vale a pena a visita: o local abre das 3 da tarde às 3 da manhã todos os dias, com shows a partir das 9 da noite.

Um dos eventos imperdíveis do cassino é o Réveillon, que traz grandes atrações internacionais em um lounge luxuoso, além de um cardápio digno de celebração.

Considerado o maior complexo de entretenimento de Portugal, o Casino Estoril é obrigatório no roteiro turístico, pois oferece muito mais do que uma jogatina.

O local é conhecido pelos espetáculos de jazz, música clássica e teatro, além de possuir um dos restaurantes chineses mais elegantes da Europa.

Mas, se você quer mesmo é ver os dados rolarem, vai encontrar as tradicionais roletas, banca francesa, black-jack e salas repletas de máquinas automáticas ultramodernas.

Só não esqueça de levar o documento de identidade e deixar máquinas fotográficas, mochilas e guarda-chuvas no guarda-volumes, pois o local tem suas regras para entrada.

8. Museu Nacional do Azulejo

O azulejo português é realmente um patrimônio artístico do país, e você precisa conferir as coleções no Museu Nacional do Azulejo.

O museu reúne peças históricas de cerâmica e azulejo, sendo referência internacional na conservação e restauro das obras de arte.

No mundo, o azulejo é considerado uma das produções mais originais da cultura portuguesa, com sua rica iconografia religiosa, cenas históricas e expressão dos valores do país.

Ao circular por Lisboa, você percebe que a história da cidade é contada em azulejos de todas as cores e formas, que trazem descrições realistas nas paredes.

Por isso, não deixe de dar uma passada no museu que guarda os segredos da azulejaria portuguesa e conferir suas exposições e eventos.

9. Oceanário de Lisboa

Oceanario de Lisboa
Oceanário é um dos grandes aquários da Europa. Foto: Rinaldo Wurglitsch, CC BY-SA 4.0

Passar por Lisboa sem conhecer um dos maiores aquários da Europa é imperdoável, por isso não deixe de agendar sua visita no Oceanário de Lisboa.

O local foi inaugurado em 1998 para eternizar a relação de Lisboa com o oceano, tornando-se referência internacional.

É o ponto cultural mais frequentado de Lisboa, com mais de 1 milhão de visitantes ao ano, e oferece uma visão única da biodiversidade marinha em defesa do desenvolvimento sustentável.

Entre as atividades oferecidas, está a famosa “Dormindo com os tubarões”, que oferece uma noite ao lado do aquário dos peixes mais temidos do oceano.

Em 2018, o oceanário conquistou o título de melhor aquário do mundo pelo TripAdvisor, que reforçou sua fama de ponto turístico imperdível.

Dica: se quiser ainda mais comodidade, você pode comprar seus ingressos online no site do oceanário.

10. Espaço de Visitação e Observação de Aves

Você já pensou em ter uma experiência incrível observando pássaros nativos em seu habitat?

No Espaço de Visitação e Observação de Aves (EVOA) de Lisboa, você terá uma visão privilegiada desses animais encantadores.

O local oferece visitas guiadas ao coração da Reserva Natural do Estuário do Tejo, permitindo que os turistas apreciem as aves e a natureza fascinante ao redor.

A ideia é proporcionar o contato com a natureza de um ponto de vista ecologicamente correto, mostrando a beleza dos pássaros em liberdade e a importância da preservação de seu ambiente.

Antes de começar sua aventura no EVOA, providencie um binóculo e não se esqueça da máquina fotográfica.

Dica: quando for visitar o local, não use roupas de cores fortes como laranja e amarelo, pois podem perturbar as aves.

11. Teleférico Parque das Nações

Teleférico - Lisboa
Teleférico oferece linda vista da cidade. Foto: Thomas, CC BY-SA 2.0

Que tal uma viagem entre o rio e o céu, bem no coração de Lisboa, com a possibilidade de avistar do alto outros pontos turísticos da cidade?

Essa é a experiência oferecida pelo Teleférico Parque das Nações, que fica bem no meio do Parque das Nações.

O mesmo parque conta com atrações clássicas como o Pavilhão do Conhecimento, Torre Vasco da Gama (edifício mais alto do país) e a Igreja de Nossa Senhora dos Navegantes, além do próprio Oceanário de Lisboa.

Depois de curtir os concertos do MEO Arena e comprar no Centro Comercial Vasco da Gama, vale a pena passear de teleférico sobre as águas do Rio Tejo.

Cada cabine tem capacidade para 8 pessoas e o percurso dura de 8 a 12 minutos, ao preço de 5,90 € na ida e volta para adultos.

Para programar sua visita, confira os horários em diferentes épocas do ano no site do teleférico.

Praças são importantes pontos turísticos de Lisboa

Vista do Arco
Praça do Comércio vista do Arco Triunfal de Lisboa. Foto: Rafaela Kich/Arquivo Pessoal

Entre um ponto turístico e outro, você vai perceber que Lisboa é repleta de praças.

A própria Praça do Comércio (mais conhecida como Terreiro do Paço), ligada ao Arco do Triunfo, é um espetáculo: trata-se de uma das maiores praças da Europa, com aproximadamente 36.000 m².

Durante décadas, os edifícios que as cercam foram utilizados por instituições públicas.

No centro da Praça fica a Estátua de D. José I, de autoria do escultor Joaquim Machado de Castro.

Ela foi a primeira estátua equestre erguida em Portugal, além de ser um dos primeiros monumentos em via pública do país dedicado a uma pessoa ainda viva à época.

O Terreiro do Paço fica ainda mais belo por estar rodeado pelo Rio Tejo. É de um charme impressionante.

Estátua de D. José I
A charmosa Estátua de D. José I. Foto: Rafaela Kich/Arquivo Pessoal

Há, ainda, diversas outras praças incríveis que podem entrar no seu roteiro por Lisboa: a Praça de D. Pedro IV, também conhecida como Rossio, a Praça Luís de Camões, a Praça do Marquês de Pombal e a Praça da Figueira são algumas delas.

Se puder, não deixe de visitar.

Mapa turístico de Lisboa

Se você não sabe por onde começar a montar o roteiro, uma boa dica é usar o mapa turístico para se localizar.

O ideal é criar seu próprio mapa turístico, escolhendo os locais que pretende visitar para criar rotas personalizadas e planejar o transporte dentro da cidade.

No site da Civitatis, por exemplo, você pode selecionar os destinos e imprimir um mapa personalizado de Lisboa.

Ao visualizar o mapa, você vai notar que os pontos turísticos são próximos e que há várias opções de transporte para acessar cada local.

No geral, você pode circular a pé durante a visita aos principais pontos, ou até mesmo de bicicleta, se quiser vivenciar a cidade de um jeito diferente.

Mas, se preferir uma visão geral da cidade, pode encontrar mapas turísticos básicos como esse:

Mapa de Lisboa
Mapa de Lisboa – imagem original em portugalvirtual.pt

E para seu roteiro, não esqueça de conferir o mapa turístico de Portugal e incluir outras cidades na sua programação.

Turismo em Lisboa além dos pontos tradicionais

O apelo dos pontos turísticos de Lisboa é cada vez maior.

Na verdade, Lisboa é uma cidade em pleno processo de “turistificação”, que foi colocada no mapa do turismo mundial graças aos esforços do poder público.

A capital histórica de Portugal vive um boom turístico desde 2014, quando bateu seu recorde de 4 milhões de visitantes estrangeiros, segundo o Observatório do Turismo de Lisboa.

Em 2017, a cidade recebeu um total de 4,94 milhões de turistas, e já ganhou o status de segunda cidade europeia com maior crescimento turístico, segundo o estudo Global Destination Cities Index da Mastercard.

Quer mais? O Instituto do Planejamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT) descobriu que há nove turistas por morador em Lisboa.

O relatório publicado no jornal Público revela que há 300 turistas por quilômetro quadrado na cidade, e o número tende a crescer ainda mais.

Esse crescimento impressionante equipara Lisboa a cidades como Madrid, Barcelona e Londres, e tem pressionado o governo para melhorar a infraestrutura e ampliar a capacidade de atender os turistas.

Antes considerada um destino “morno”, hoje Lisboa desponta como uma cidade vibrante, multicultural, calorosa e rica em experiências.

O atual presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, dá a receita do sucesso: “Os turistas de hoje não procuram produtos, e sim experiências.”

Em entrevista ao Público, ele conta que mudou a estratégia para conquistar novos públicos, pois as imagens paradisíacas nem sempre são suficientes.

É por isso que Lisboa não se resume a belas praias – maravilhosas, a propósito –, mas também oferece vivências únicas com suas atrações culturais, povo acolhedor e clima de romance em cada esquina.

No plano estratégico de turismo oficial, os objetivos são reforçar a diversidade das ofertas turísticas, valorizar os produtos locais e criação de experiências integradas.

Assim, os novos turistas terão roteiros exclusivos com visitas a monumentos, esportes aquáticos, noites badaladas e degustações inesquecíveis.

Além disso, a cidade também está investindo em eventos, centros de compras e revitalização de suas construções históricas.

O grande desafio de Lisboa é garantir que sua explosão turística seja sustentável, para preservar a memória e identidade de uma das cidades mais antigas do mundo.

E aí, gostou de conhecer mais sobre os pontos turísticos de Lisboa? Quais você deseja conhecer? Acrescentaria mais algum à lista? Comente. 🙂

2 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta