Os imperdíveis: 14 pontos turísticos de Roma

Os pontos turísticos de Roma são um mergulho na história da cidade.

Não é segredo que a capital da Itália tem alguns dos monumentos mais importantes do ocidente.

Nessa cidade repleta de alma, cada esquina é um museu.

Mas como montar um roteiro para visitar os pontos turísticos de Roma essenciais?

Quais são as atrações que não podem faltar no itinerário dos visitantes?

É isso que vamos desvendar neste artigo.

Preparado? 😀

Roma
Roma: cidade histórica repleta de atrações para os viajantes. Foto: iStock, Getty Images

14 pontos turísticos de Roma que não podem faltar no roteiro

Chamada de “Cidade Eterna”, Roma tem uma história milenar.

Ao mesmo tempo em que a atmosfera da metrópole remete ao passado, os romanos de hoje recebem de braços abertos os visitantes.

Mas explorar uma cidade assim em sua totalidade nem sempre é tarefa fácil, já que há muito o que se ver. Por isso, selecionamos os top 14 pontos turísticos de Roma.

Veja a seguir quais são eles:

1. Coliseu

Coliseu
Coliseu. Foto: iStock, Getty Images

Maior símbolo do Império Romano e principal cartão postal de Roma, o Coliseu é uma emblemática arena construída entre 72 d.C. e 80 d.C.

Na época, comportava em torno de 50 mil pessoas, que ali se reuniam para assistir a batalhas épicas – as famosas brigas dos gladiadores – além de lutas com animais e, claro, execuções.

O Coliseu pode ter sido palco de uma história sangrenta, mas é um ponto turístico de Roma essencial para entender um pouco mais da cidade eterna.

Os ingressos para entrar custam 16 euros e também dão acesso ao Fórum Romano e ao Palatino.

Para evitar filas, compre o bilhete com antecedência.

2. Palatino

Palatino
Palatino. Foto: iStock, Getty Images

O monte Palatino, uma das sete colinas de Roma, abriga as ruínas dos mais importantes palácios da antiga cidade.

Lá moravam os imperadores Augusto, Tibério e Domiciano.

O ingresso de acesso ao Coliseu também permite conhecer o Palatino.

3. Fórum Romano

Fórum-Romano
Fórum Romano. Foto: iStock, Getty Images

Uma espécie de Broadway à la Roma Antiga, o Fórum Romano é o local que concentrava as maiores atrações da cidade na época da República.

Situado entre o monte Capitolino e o monte Palatino, ele foi construído no final do século 7 a.C. O Fórum foi palco de grandes acontecimentos, como a cremação de César.

Na região das Ruínas do Fórum também ficam outros monumentos importantes, como o Arco de Septimius Severus, local onde eram celebradas as vitórias do antigo imperador, além Basílica de Massenzio e do Templo de Antonino e Faustina.

O ingresso do Coliseu, como já foi mencionado, também dá acesso ao local.

4. Panteão

Panteão
Panteão. Foto: iStock, Getty Images

Com entrada gratuita, o Panteão é um dos monumentos mais bem preservados remanescentes do Império Romano.

Sua construção original data de 27 a.C., e sua primeira restauração, de 2 d.C. Originalmente, ele foi projetado para ser um Templo de Todos os Deuses, mas desde o século 7 foi apropriado como um templo católico.

Além da arquitetura impressionante, o Panteão abriga os túmulos de importantes personalidades italianas, como o pintor Rafael Sanzio e Vittorio Emanuele II de Saboia, o primeiro rei da Itália. Uma visita é indispensável.

5. Basílica de São Pedro

Basílica-de-São-Pedro
Basílica de São Pedro. Foto: iStock, Getty Images

Fundada em 324 pelo imperador Constantino, a Basílica de São Pedro é hoje o mais importante templo católico do mundo.

Ela abriga o túmulo do apóstolo Pedro, que deu origem ao nome do local, além das tumbas dos papas, que ficam no subsolo.

O que mais chama atenção na Basílica é sua cúpula, pintada por Michelangelo, e as demais obras de arte que abriga – a exemplo da Pietà (do mesmo artista).

Isso sem falar no Baldaquino de Bernini, uma espécie de altar papal de bronze com quase 30 metros de altura.

6. Fontana Di Trevi

A Fontana Di Trevi é uma das mais belas fontes do Mundo e um dos pontos turísticos mais disputados de Roma.

Trata-se de uma construção dramática, ambiciosa, barroca e absolutamente espetacular.

O maior problema é se desvencilhar da multidão para tentar captar um pouco da aura do lugar e, claro, aquela selfie clássica.

Dica: as fotos noturnas ficam belíssimas.

7. Piazza Navona

Piazza Navona

A Praça Navona, ou Piazza Navona, é uma das grandes praças de Roma.

Trata-se de uma dessas piazzas de tirar o fôlego, que surgem após ruelas estreitas e despretensiosas.

Abriga a igreja de Sant’Agnese in Agone (de Francesco Borromini e Girolamo Gainaldi), o Palácio Pamphilj (sede da embaixada do Brasil na Itália desde 1920) e fontes lindas e antigas, como Fontana dei Quattro Fiumi (1651), a Fontana Di Nettuno (1574) e a Fontana Del Moro (1576)

8. Monumento Vittoriano

Monumento Vittoriano

O Monumento Vittoriano, ou Monumento Nacional a Vítor Emanuel II, é uma homenagem a Vítor Emanuel II da Itália, primeiro rei da Itália unificada.

Trata-se de um daqueles pontos turísticos de Roma que são imperdíveis.

Tanto porque é lindo quanto porque é gigante.

Ou seja, não dá para perder.

Então, dê uma boa olhada na foto acima.

Impressionante, não?

Mas atenção: por mais que seu olhar seja atento e sua imaginação, aguçada, não é possível captar a magnitude dessa verdadeira obra arquitetônica.

Imperdível.

9. Galeria Borghese

A Galeria Borghese é um dos museus de arte mais fascinantes da Itália, inaugurado em 1903 e situado dentro da Villa Borghese.

Aliás, Borghese é o sobrenome de uma poderosa família que vivia no palácio que hoje abriga o museu.

Na realidade, toda a coleção de obras do local pertencia ao Cardeal Scipione Borghese (1577-1633), que usou sua fortuna incalculável para construir palácios, castelos e igrejas.

Entre as peças marcantes em exposição estão esculturas e pinturas de Gian Lorenzo Bernini, Caravaggio, Raffaello e Leonardo da Vinci.

Apesar de pequena em relação a outros museus, a Galeria Borghese guarda um tesouro inestimável e impressiona pela decoração imponente.

Boa parte das obras abrange temas da mitologia grega e romana, o que é uma atração e tanto para os aficionados pela Antiguidade Clássica.

Se você quiser refrescar a memória para apreciar melhor as obras, a dica é pagar uma pequena taxa adicional para ter um guia especializado.

Assim, você garante uma imersão mais profunda na história das peças e aproveita a experiência ao máximo.

10. Trastevere

Trastevere

Este é um ponto turístico de Roma para quem quer conhecer a noite da cidade eterna.

O Trastevere é um bairro de charme único, com suas ruas de paralelepípedos cercadas por construções que remetem à Idade Média.

Localizado à beira do rio Tibre, é uma região famosa pelos restaurantes romanos típicos, onde você pode saborear um delicioso rigatoni ou um belo filetto di baccalà.

Mas o Trastevere ganha vida após às 18h, com a efervescência jovem que toma conta das ruas e lota bares, restaurantes e pubs.

Nas ruas, famílias italianas típicas convivem com a juventude mais descolada, e todos aproveitam a programação eclética do bairro mais encantador de Roma.

Mas, se você não gosta de multidão, é melhor evitar as temporadas e horários de pico, porque o Trastevere atrai milhares de visitantes.

11. Mercado de Trajano

O Mercado de Trajano é um complexo de prédios que data da Roma Antiga, que hoje abriga o Museu dos Fóruns Imperiais.

A área arqueológica é uma verdadeira viagem aos tempos gloriosos de César e Augusto, pois os edifícios abrigavam as atividades administrativas do Império Romano.

Apesar do histórico de centro comercial, o mercado era um espaço multifuncional para os romanos, pois recebia atividades públicas e eventos diversos.

Atualmente, os turistas podem admirar o complexo arquitetônico com amplas abóbadas, soleiras e janelas e tijolos moldados sob medida para a decoração da época.

Como o local fica próximo ao Coliseu e Palatino, vale a pena dar uma passada para conhecer as ruínas do mercado e o museu que retrata os antigos fóruns.

Vale mencionar que o museu tem excelente infraestrutura e instalações multimídia, para os que não dispensam a ajuda da tecnologia para desvendar o passado.

12. Basílica de Santa Maria in Cosmedin e La Bocca della Verità

Santa Maria

A Basílica de Santa Maria in Cosmedin é uma igreja que data do século 8, construída durante o período do Papado Bizantino.

A construção de estilo paleocristão possui 800 m² e fica no Rione Ripa, mas a grande atração da igreja fica no pórtico de entrada: a La Bocca della Verità ou “A Boca da Verdade”.

Trata-se de uma peça esculpida em mármore com formato circular, que traz uma face humanoide de boca aberta que desperta a imaginação dos turistas.

Acredita-se que a escultura tenha sido uma tampa de bueiro ou parte de alguma fonte antiga, e que a figura represente o deus romano Oceano.

Com sua aparência sinistra, a peça gerou diversas lendas entre os povos tradicionais, mas a principal crença é sua função como “detector de mentiras”.

Isso porque, na Idade Média, os romanos diziam que se alguém contasse uma mentira com a mão na boca da escultura, ela se fecharia mordendo a mão do mentiroso.

Além da boca misteriosa, a igreja também abriga o crânio de São Valentim, preservado em uma das capelas laterais com sua coroa de flores.

13. Circo Máximo

Se qualquer menção à Roma Antiga faz você lembrar das típicas corridas de bigas, o Circo Máximo merece uma visita durante a viagem.

O estádio era uma das maiores arenas de entretenimento de Roma, situado entre o Aventino e Palatino, com espaço para mais de 150 mil espectadores.

De fato, a política do “Pão e Circo” era levada a sério no Império Romano, pois os jogos públicos eram patrocinados pelo Estado para manter o povo entretido no Circo Máximo.

Além das tradicionais corridas de bigas, o espaço também era utilizado para as chamadas veações, que eram eventos de caça a animais selvagens como leopardos, ursos e elefantes.

No lado mais leve da história, o local abrigava espetáculos de flauta, dança e teatro.

Hoje, o Circo Máximo preserva algumas de suas principais estruturas e se tornou um grande parque público utilizado para concertos e manifestações.

Para os turistas, é uma oportunidade de se sentir pequeno diante da imensidão do estádio, pisando na terra que já foi palco dos eventos públicos mais extravagantes da humanidade.

14. Termas de Caracala

Caracala

As Termas de Caracala eram o centro dos famosos banhos públicos de Roma, provavelmente construído por volta do ano 217.

O complexo foi iniciado pelo imperador Sétimo Severo durante o reinado de seu filho Caracala, em uma obra que obrigou os trabalhadores a movimentarem mais de 2 mil toneladas de material todos os dias.

A tecnologia do edifício era o aquecimento por hipocausto, um sistema subterrâneo motivo a carvão e lenha que fervia as águas do aqueduto e espalhava os vapores por tubulações.

Até o século 5, as Termas de Caracala ainda estavam ativas, sendo consideradas uma das sete maravilhas de Roma, mas foram quase totalmente destruídas no terremoto de 847.

Felizmente, as escavações modernas conseguiram trazer à tona boa parte das belezas arquitetônicas da construção.

A recuperação foi tão bem-sucedida que o local já foi palco da Ópera de Roma e serviu como pista para o Grand Prix de Roma.

Hoje, o local está aberto para visitação turística e os ingressos custam certa de 12 euros.

Pontos turísticos de Roma não param por aí

É claro que os 14 pontos turísticos de Roma citados acima são apenas uma pequena parte de tudo o que a cidade oferece.

Se você der uma olhada no mapa turístico de Roma, vai entender do que estamos falando:

Mapa turístico de Roma
Mapa turístico de Roma. Clique para ampliar. Reprodução: Tripomatic.com, CC BY-SA 3.0

Viu como há inúmeras opções?

Então, se esta é a sua primeira visita, siga este conselho: hospede-se na cidade antiga, ali perto da Fontana Di Trevi, do Panteão, do Coliseu ou em qualquer ponto próximo.

Dessa forma, vai ficar mais fácil se deslocar entre todas as atrações.

Na sua visita, vale também programar passeios aos chamados “Museus do Vaticano”, que apresentam obras de artistas famosos, além de históricas peças romanas e egípcias.

O Museu Pio-Clementino, o Museu Gregoriano Egípcio, o Museu Gregoriano Profano e o Museu Pio-Cristão são algumas opções.

No roteiro em Roma, não deixe de incluir também o Castelo Sant’ Angelo, fundado no ano de 135 pelo imperador Adriano.

Além de todos esses pontos turísticos, Roma tem MUITO a oferecer.

Por isso, vá com tempo e, de preferência, sem pressa.

Vá com disposição para se perder pelas ruelas, pelos becos, pelas casinhas e pelas incontáveis e incríveis praças.

A cada esquina, você vai se deparar com alguma surpresa.

E, no final da viagem, cada uma dessas pequenas surpresas vão formar um emaranhado de imagens mentais das quais você nunca mais vai esquecer.

Pontos turísticos da Itália

Se você está montando agora seu roteiro por Roma, que tal conhecer também o mapa turístico da Itália e suas principais atrações além da capital?

Esse é um dos países mais fascinantes para o turismo na Europa.

Acredite: há muito o que visitar na Itália.

Abriga inúmeros destinos com arquitetura belíssima, história incrível e paisagens de tirar o fôlego.

cenários maravilhosos espalhadas por toda a Itália.

E o país atende a todos os gostos.

Seja o de turistas urbanos, rurais ou dos fãs de arte.

Nenhum outro lugar tem tanto apelo arquitetônico quanto o coração do movimento renascentista.

Veja alguns dos destinos para ir além dos pontos turísticos de Roma:

  • Nápoles
  • Veneza
  • Milão
  • Sicília
  • Sardenha
  • Toscana.

E aí, o que achou das nossas dicas de viagem para a Itália e dos pontos turísticos de Roma?

Qual você quer visitar? Faltou algum na lista? Opine nos comentários 😉

4 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta